Uma quadrilha formada por 12 bandidos encapuzados e armados assaltaram na segunda-feira 4 a agência do Banco do Brasil de Viçosa do Ceará, na Região da Ibiapaba. O pânico se instalou entre clientes e funcionários quando eles ouviram os tiros que vinham de fora da agência. As lojas do comércio fecharam as portas por algumas horas até que a cidade voltasse ao normal.
 

A ousadia dos bandidos deixou os moradores da cidade abalados. Era por volta do meio dia quando três deles invadiram a agência do BB do município. Um deles ficou na porta do banco armado com um fuzil dando cobertura para os dois que entraram no estabelecimento.

O primeiro, também armado de fuzil, rendeu um dos seguranças do banco e o obrigou a colocar em um malote médio todo o dinheiro que estava nas gavetas dos caixas. O outro armado de pistola rendeu funcionários e clientes dentro da agência e supervisionou toda a ação do comparsa.

Depois do assalto, os bandidos fugiram em pelo menos três carros, uma Hilux, um Meriva e outro que a Polícia suspeita ser uma D-20 roubada. Na fuga eles levaram duas pessoas como reféns, que seriam homens que trabalham fazendo frete para localidades próximas da cidade. Momentos depois as vítimas foram liberadas.

No distrito de Delgado, os bandidos incendiaram dois carros, a Hilux e o Meriva, e ainda tiraram as placas dos veículos. Parte do grupo fugiu em direção a cidade de Cocal, no Piauí. Os outros seguiram no sentido do município de Granja. A Polícia disse que eles não saíram do Estado.

Sotaque

Um dos seguranças disse em depoimento à delegada que o sotaque dos dois bandidos era "bem nordestino", uma fala parecida com a dos pernambucanos ou cearenses da Região do Cariri. "Ele relatou que os homens são altos, brancos e um até tem olhos claro", informa Naiana.

A delegada ressaltou que, de acordo com os depoimentos, os bandidos estavam calmos durante a ação. Não apresentaram nervosismo e não foram violentos com os reféns. "Atiraram para amedrontar as pessoas e intimidar a Polícia".

Na troca de tiros, o comandante do Ronda da cidade, sargento Antônio Carlos Nunes Pierre, 42, foi atingido com um tiro de fuzil na perna. Ele foi transferido para o Instituto Dr. José Frota, onde passou por cirurgia e pode perder a perna.

A delegada informou que, segundo um funcionário, antes do assalto um carro forte teria abastecido o cofre do banco. Até o fechamento desta edição, policiais civis e militares de Viçosa e Tianguá realizavam diligências nas saídas do Ceará.

Fonte: O Povo Online

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster