]A Polícia Civil está preocupada com quantidade de dinamite que está nas mãos de bandidos em Minas Gerais. Do segundo semestre de 2011 até hoje, quase uma tonelada de explosivos foi roubada no estado. O material é usado em crimes contra o patrimônio, principalmente explosões de caixas eletrônicos. 

De janeiro até a última sexta-feira, foram registrados 102 ataques em Minas. A migração de bandidos para essa modalidade criminosa também preocupa a polícia.

Na segunda-feira (21), ladrões levaram 374 quilos de uma mineradora em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A polícia também registrou o furto de 420 quilos de explosivos em Uberaba, no Triângulo Mineiro, 50 quilos em Pará de Minas, no Centro-Oeste, 50 quilos em Campo Belo, no Sul de Minas.

O chefe da Divisão de Operações Especiais (Deoesp), delegado Vicente Ferreira, e o chefe do Departamento de Investigação de Crimes Contra o Patrimônio (Depatri), Márcio Babak, anunciaram nesta terça-feira a criação de uma equipe especial para fiscalizar 600 empresas – mineradoras, pedreiras e laboratórios – que armazenam explosivos no estado.

Essa fiscalização de dinamites é feita pelo Exército, por isso a Polícia Civil vai se reunir com representantes para discutir estratégias de combate aos furtos. Segundo os delegados, o Exército também está estudando novas formas de combate a essas quadrilhas.

A equipe da polícia mineira vai investigar todos os arrombamentos e crimes contra empresas que guardam explosivos. O grupo vai verificar se as organizações estão protegendo os materiais de maneira adequada, no que diz respeito à segurança e vigilância.

No furto de ontem, por exemplo, havia apenas um vigia para cuidar de três paióis na empresa Bela Vista, o que a polícia considerou um descaso com a segurança pública.

Quadrilhas

Segundo os delegados, muitos bandidos estão migrando para os crimes contra caixas eletrônicos. Alguns estão se profissionalizando e outros são totalmente amadores no manuseio de explosivos. Na última sexta-feira, criminosos destruíram caixas eletrônicos dentro de um supermercado no Centro de Contagem.

Peritos encontraram, jogado no chão, um manual sobre funcionamento de caixas. Segundo a polícia, esse é um indicativo de que os criminoso estão se especializando. A polícia acredita que membros das quadrilhas estão se aliando, principalmente, a grupos de São Paulo especialistas em explosões.

Fonte: Estado de Minas

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster