O recurso dos associados do fundo de pensão foi incorporado de forma irregular. Com isso, o Banco do Brasil aumentou em R$ 2,5 bilhões os ganhos de 2008 – O Banco do Brasil bateu um novo recorde ao lucrar R$ 8,8 bilhões no ano passado, valor 74% maior do que o de 2007. O fabuloso resultado foi garantido, em parte, porque o BB incorporou indevidamente R$ 5,412 bi em recursos da Caixa de Previdência (Previ).

O movimento sindical já entrou na Justiça para que o dinheiro retorne aos participantes do fundo de pensão e denunciou a manobra do banco ao Conselho de Valores Mobiliários (CVM).

O diretor do Sindicato e funcionário do BB, Ernesto Izumi, explica que o recurso do superávit da Previ abocanhado pelo banco causou um impacto positivo de R$ 2,52 bilhão no lucro da empresa. “Com o nosso dinheiro, o Banco do Brasil ampliou em 142% o lucro do quarto trimestre em relação ao mesmo período do ano passado”, explica Ernesto, destacando que, assim, haverá também o aumento de repasse de dividendos aos acionistas.

Ernesto conta que o resultado maior também deve garantir uma Participação nos Lucros e Resultados (PLR) melhor para os bancários. “Essa melhora na PLR é muito boa, mas não justifica a manobra do BB para se apropriar do dinheiro que pertence aos associados do Plano 1 da Previ. Isso abre precedentes para o banco levar os recursos do Previ Futuro. PLR não é tudo, existem coisas muito mais importantes, como salários melhores, condições de trabalho”, afirma.

O lucro – Mesmo sem contar os efeitos extraordinários, o BB teve um desempenho extraordinário em 2008, com um lucro recorrente de R$ 6,685 bilhões. Além do dinheiro que o Banco do Brasil pegou da Previ, a carteira de crédito impulsionou a lucratividade. No total, a carteira alcançou os R$ 237,2 bilhões, sendo a maior registrada desde 2000.

O crédito a pessoa física cresceu 52,5% em 2008, alcançando os R$ 48,8 bilhões. O de pessoa jurídica aumentou 48,4% em relação a 2007 e 13,9% na comparação com o trimestre anterior, totalizando R$ 97,2 bilhões. O spread do Banco do Brasil em 2008 atingiu 7,1% ante os 7,6% apurados em 2007.

No ano passado, o BB comprou o Banco do Estado do Piauí (BEP), por R$ 81,7 milhões, o Banco do Estado de Santa Catarina (Besc), por R$ 685 milhões, a Nossa Caixa, que pertencia ao Estado de São Paulo, por R$ 5,386 bilhões, e metade do Banco Votorantim, por R$ 4,2 bilhões.

Fonte: SEEB – SP / Fábio Jammal Makhoul, com agências

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster