Na reunião ocorrida dia 25 em Brasília, os representantes dos bancários e a Senadora Ideli Salvatti conseguiram arrancar da direção do Banco do Brasil o compromisso de criar uma comissão formada pelo movimento sindical, pelo superintendente responsável e pela incorporação do BESC em Santa Catarina (Zeca do BB), além de mais um representante da direção do banco, com poder de decisão, para se reunir em Florianópolis e realizar urgentemente um planejamento de realocação dos empregados da Direção Geral do BESC.

Outro objetivo da comissão será buscar saídas imediatas para os problemas detectados no processo de migração. Pelos trabalhadores participaram, pela Fetec/CUT/SC, Milano Cardoso Cavalcante (dirigente do Seeb Florianópolis e representante dos empregados do BESC na Comissão de Empresa dos Funcionários do BB) e Moacir Tomaz de Oliveira pelo Sindicato dos Bancários de Florianópolis e Região. Também participaram pelo Seeb Criciúma, Dircéia Mello Locatelli, pela Probesc, Osvaldir Romão Fernandes e José Carlos da Silva. Um documento foi entregue em nome da FETEC/CUT/SC ao vice-presidente de Governo do Banco do Brasil, Ricardo José da Costa Flores, com os principais problemas levantados pelos sindicatos desde o início do processo de incorporação.

Os sindicalistas relataram a Costa Flores os problemas decorrentes da incorporação do BESC pelo Banco do Brasil em relação aos clientes e usuários. Quanto às dificuldades identificadas no processo de migração para o plano de carreira do BB, o movimento sindical cobrou empenho do Banco do Brasil no intuito de solucionar as falhas verificadas.

Um dos pontos principais da reunião foi com relação à realocação dos empregados da extinta Direção Geral do BESC. Ao indicar a data de 17 de abril para a integração entre os sistemas BESC e BB, o banco tem gerado grande apreensão na categoria, pois faltam apenas três semanas para isso acontecer e não enxergamos nenhum planejamento nesse sentido. Os dirigentes expuseram também os problemas detectados na folha de pagamento dos egressos do BESC, após a migração para o BB. Outra questão tratada na reunião foi relativa aos problemas verificados nas concorrências internas e ainda, a falta de uma política de integração entre empregados do BB egressos do BESC e demais empregados do Banco do Brasil.

Fala Senadora – A atuação do gabinete de Ideli Salvatti viabilizou a reunião de ontem. Inicialmente a discussão com o BB estava agendada para o último dia 15 e desmarcada unilateralmente pelo BB. O gabinete da parlamentar catarinense intermediou o novo agendamento. Na reunião desta quarta, a parlamentar catarinense se mostrou preocupada com a precarização do atendimento nas agências BB/BESC. Para ela, o atendimento que ocorre ainda nas agências do BB/BESC tem um diferencial na relação com os servidores públicos e aposentados que deve ser mantido. Ideli propôs ao vice-presidente de Governo do BB a criação de uma comissão específica para realizar urgentemente um planejamento de realocação dos empregados da então Direção Geral do BESC. A proposta foi aceita por Costa Flores. A comissão será formada pelo movimento sindical, pelo superintendente responsável pela incorporação do BESC no Estado (Zeca do BB) e mais um representante da direção do banco, com poder de decisão. A senadora cobrou a solução dos problemas identificados no processo de migração para o plano de carreira do BB e dos problemas decorrentes da folha de pagamento após a incorporação.

Grandes talentos – Em sua fala, Costa Flores explicou que a incorporação do BESC está sendo uma experiência nova para o Banco do Brasil e que o banco ainda está passando por períodos de ajustes. Disse também que o BB está procurando corrigir os problemas identificados na folha de pagamento, no intuito de não prejudicar ninguém. Ele ressaltou que, além de comprar a instituição BESC o Banco do Brasil "adquiriu grandes talentos entre seus empregados". Afirmou também que o BB pretende manter a qualidade de atendimento aos clientes e usuários do BB/BESC. Costa Flores disse que o banco buscará uma solução para os problemas identificados no programa de migração para o plano de carreira do BB.

A Direção do Sindicato de Florianópolis continuará envidando esforços para que a formação da comissão e uma nova reunião ocorra o mais rápido possível.

Fonte: Seeb Florianópolis e região

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster