A Fetrafi-RS divulgou nesta terça-feira, dia 14, as primeiras estatísticas geradas através do Sistema de Rescisões Online. O software foi disponibilizado pela entidade aos seus sindicatos filiados para organizar as informações disponíveis sobre as demissões nos bancos que atuam no Rio Grande do Sul. O objetivo da entidade é identificar e mensurar os desligamentos efetivados pelo sistema financeiro.

Entre os quatro maiores bancos privados com agências no Rio Grande do Sul, o Bradesco é o campeão em demissões sem justa causa. Nos últimos dois anos, foram 111 demissões no período entre os meses de junho de 2009 a maio de 2011. Em segundo lugar está o Banco Santander com 87 desligamentos, em terceiro o Itaú com 61 e em quarto aparece o HSBC com 25 demissões sem justa causa.

A avaliação dos dados pelo número de desligamentos, sem levar em consideração os motivos de rescisões, aponta o Banco Santander em primeiro lugar com 145 dispensas. O segundo colocado é o Bradesco com 128 demissões, seguido pelo Itaú com 101. O HSBC foi o que menos demitiu, contabilizando 57 desligamentos.

De acordo com os dados da Fetrafi-RS, o número de pedidos de demissão voluntária é maior no HSBC. No caso deste banco, houve mais pedidos de afastamento do que desligamentos efetuados pela instituição.

Segundo o representante dos bancários gaúchos na Comissão de Organização dos Empregados (COE) do HSBC, Lúcio Paz, o banco tem perdido muitos profissionais para o mercado, principalmente devido à baixa remuneração variável. "O HSBC tem um programa próprio de participação nos resultados cujos critérios não são muitos claros.

O banco ainda desconta os valores pagos nos programas próprios da PLR da Fenaban, o que desestimula os trabalhadores. Em 2010 o HSBC pagou a menor PLR entre os bancos privados. Outra questão importante é o assédio moral e as metas desumanas impostas pela instituição", observa o dirigente sindical.

De acordo com o gráfico global de demissões gerado pelo sistema da Fetrafi-RS, a maior parte dos demitidos são homens (52%), contra 48% de mulheres. O total de dispensas foi 431, sendo que 225 homens e 206 mulheres foram desligados. Estas informações confirmam a tendência de continuidade da mão-de-obra do sexo feminino no setor bancário. Como mostra o gráfico abaixo.

Controle Diário

A Fetrafi-RS mantém por meio de sistema on-line, compartilhado com seus sindicatos filiados, o controle diário das homologações de rescisões de contrato de trabalho dos bancários no RS. A estatística considera trabalhadores com mais de um ano de vínculo empregatício.

Os números relacionados às admissões não podem ser analisados porque os bancos negam estas informações aos sindicatos. O levantamento sobre estes dados é efetuada pelo DIEESE, através do dados do MTE – Ministério do Trabalho e Emprego.

Fonte: Fetrafi-RS

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster