Com as perdas bilionários dos bancos norte-americanos por conta do agravamento da crise econômica, os bancos brasileiros ganharam espaço entre as instituições mais lucrativas e mais rentáveis do continente americano (excluindo o Canadá). Segundo estudo da consultoria Economática, três dos cinco primeiros do ranking dos lucros são brasileiros; no quesito rentabilidade, o Brasil ocupa a primeira e segunda posição.

O Banco do Brasil é o melhor colocado na lista, em terceiro lugar, com lucro líquido de US$ 3,767 bilhões no ano passado. Em seguida aparecem o Itaú (lucro de US$ 3,3 bilhões) e Bradesco (US$ 3,2 bilhões). O último representante brasileiro, o Santander, aparece na 17ª posição, com lucro de US$ 676 milhões. Em 2007, o BB estava na 12ª posição. Bradesco e Itaú, por sua vez, ocupavam o 6º e 7º lugares, respectivamente.

De acordo com o estudo da Economática, que analisou o lucro líquido dos bancos de capital aberto (ou seja, com ações negociadas em Bolsa), na lista constam ainda um mexicano e um chileno, ambos sendo filiais do espanhol Santander.

A liderança geral, porém, ainda é dos Estados Unidos, com o JP Morgan Chase, que registrou lucro líquido de US$ 5,6 bilhões em 2008, e o Bank of America, com lucro de US$ 4 bilhões. Apesar das perdas por causa da crise, os bancos americanos dominam a lista: dos 20 mais lucrativos, possuem 14 representantes.

As duas instituições financeiras já eram líderes no ano passado, mas com lucros bem maiores. O JP teve, em 2007, lucro de US$ 15,365 bilhões, enquanto o Bank of America lucrou US$ 14,982 bilhões.

Rentabilidade

Já entre os 20 mais lucrativos se verifica que os mais rentáveis são dois bancos brasileiros: BB e Bradesco. Para medir o mais rentável utiliza-se a chamada ROE (Rentabilidade sobre Patrimônio Líquido).

A ROE é um indicador ao qual analistas financeiros dão muita atenção porque, de forma simplificada, reflete o quanto uma empresa consegue crescer sem fazer novos investimentos, usando apenas o patrimônio que já possui.

Nesse quesito, o Banco do Brasil apresenta rentabilidade de 32,5%, seguido pelo Bradesco, com 23,6%. Entre os cinco mais lucrativos estão quatro bancos latinos, incluindo o Itaú em quinto (21,5%).

Já os mais lucrativos –JP Morgan e Bank of America– ficam nas ultimas posições, com taxas de 3,9% e 2,5%, respectivamente–. Segundo a Economática, isso "demonstra que a qualidade do Banco do Brasil e Bradesco é muito mais representativa, apesar de terem um lucro menor".

Dois fatores práticos, porém, explicam o fato de os ganhos dos bancos brasileiros superarem os dos americanos. Em primeiro lugar, a maior concorrência nos Estados Unidos, sendo que o Brasil é conhecido por seu um dos países com maior concentração bancária do mundo. Em segundo lugar estão os juros altos.

Apesar do corte da Selic da semana passada, o Brasil continua com uma das maiores taxas de juros do mundo. Em termos nominais, ficam à frente da taxa os juros na Venezuela (17,06%), Rússia (13%), Turquia (11,50%) e Argentina (11,38%). Em relação aos juros reais (descontada a inflação), o Brasil continua com a maior taxa, de 6,51% ao ano.

"Economist"

Reportagem publicada pela revista britânica "Economist" deste semana, que chega às bancas nesta sexta-feira, afirma que os bancos brasileiros estão seguros e são uma "exceção" no setor em meio à crise. "Os bancos brasileiros podem ser caros, mas pelo menos eles estão seguros", diz. "Até agora, nenhum deles teve problemas com a crise financeira mundial. Isso pode ser porque seus lucros com as atividades diárias são tão altos que eles não precisaram assumir riscos tolos."

Sobre o corte de 1,5 ponto percentual da taxa de juros Selic na semana passada, a revista afirma que o Banco Central conseguiu cortar as taxas "dura e rapidamente", e que mais cortes são esperados. Mas destaca, porém, que os cortes nas taxas não estão sendo repassados para os clientes, o que alimenta a discussão sobre os altos lucros dos bancos com seus "spreads" (diferença entre o custo de captação de dinheiro pelos bancos e as taxas cobradas dos clientes).

Bancos Lucrativos Bancos Rentáveis
Posição Empresa País Lucro líquido em 2008 (US$ em bilhões) Posição Empresa País Roe 2008%
1 JP Morgan Chase EUA 5,605 1 Banco do Brasil Brasil 32,5
2 Bank of America EUA 4,008 2 Bradesco Brasil 23,6
3 Banco do Brasil Brasil 3,767 3 American Express EUA 23,6
4 Itaú Brasil 3,339 4 Santander Chile 21,8
5 Bradesco Brasil 3,261 5 Itaú Brasil 21,5
6 US Bancorp EUA 2,946 6 State Street Corp EUA 15
7 American Express EUA 2,699 7 Northern Trust EUA 14,6
8 Well Fargo EUA 2,655 8 Santander Serfin GF México 12,6
9 Goldman Sachs EUA 2,322 9 US Bancorp EUA 12,4
10 State Street Corp EUA 1,811 10 BB&T EUA 10,6
11 Morgan Stanley EUA 1,707 11 M&T Bank EUA 8,4
12 BB&T EUA 1,519 12 Santander Brasil Brasil 5,4
13 Bank of NY Mellon EUA 1,419 13 Bank of NY Mellon EUA 4,9
14 PNC Bank EUA 0,882 14 PNC Bank EUA 4,4
15 Sun Trust Banks EUA 0,796 15 Goldman Sachs EUA 4,3
16 Northern Trust EUA 0,795 16 Morgan Stanley EUA 4,2
17 Santander Brasil Brasil 0,676 17 Sun Trust Banks EUA 3,9
18 Santander Serfin GF México 0,616 18 JP Morgan Chase EUA 3,9
19 M&T Bank EUA 0,556 19 Wells Fargo EUA 3,6
20 Santander Chile Chile 0,522 20 Bank of America EUA 2,5

Fonte: Folha Online

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster