Com o trunfo de 7 milhões de contas-salário de trabalhadores filiados em todo País, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) se reunirá, nesta quarta-feira (4), com o Banco do Brasil (BB) e com a Caixa Econômica Federal (CEF). Tendo a bênção do Banco Central, os dirigentes sindicais vão tratar da possível transferência de pagamentos mensais de trabalhadores para os dois gigantes financeiros controlados pelo Governo Federal.

O principal objetivo da negociação é garantir juros menores nos empréstimos e nos cheques para os trabalhadores filiados à CUT que optarem pelos bancões oficiais. Outra idéia é dar o ‘troco’ ao sistema financeiro privado, que, no entendimento do ministro da Fazenda, Guido Mantega, deveria reduzir mais rapidamente suas taxas aos clientes.

A estratégia dos sindicalistas pode beneficiar trabalhadores, fortalece o BB e CEF com mais correntistas e castiga os bancos particulares, obrigando-os a correr atrás dos dois concorrentes com tarifas mais vantajosas que as atuais.

A idéia, segundo os dirigentes da central sindical envolvidos na negociação, é incentivar a mudança das contas-salário para os dois bancos estatais em troca de tarifa zero por dois anos e juros bem menores nos empréstimos pessoais para os trabalhadores brasileiros.

O detalhamento da proposta foi apresentado pela central sindical há duas semanas. Participaram representantes do Banco do Brasil, da Caixa Econômica Federal e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

"Nós queremos reduzir os custos bancários para os servidores", afirmou o presidente nacional da CUT, Artur Henrique da Silva Santos. A instituição financeira que oferecer melhores condições poderá contar com campanhas promovidas pela central sindical.

"Vamos estimular os trabalhadores a mudar de banco", explica Artur Henrique. A expectativa é que os concorrentes se interessem pela idéia e também reduzam suas taxas.

Fonte: O Dia online, no blog O outro lado da notícia

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster