São Paulo – Dirigentes sindicais estão sendo procurados por funcionários do Real para denunciar pressão com o objetivo de forçar os trabalhadores a aderir à nova modalidade do fundo de pensão HolandaPrevi. Segundo alguns bancários, além do assédio, gestores estão informando incorretamente que o prazo final é até sexta, 5 de junho. O Sindicato lembra que os bancários têm até 60 dias para fazer opção e ela não deve ser forçada.

“O banco está informando que, se não aderirmos até esta sexta às alterações da HolandaPrevi, não haverá depósito neste mês. Isso é abusivo e entendemos que o Sindicato deva acionar o Ministério da Previdência, pois essas alterações foram feitas goela abaixo e em nenhum momento fomos ouvidos”, afirma um bancário do Real que não será identificado.

O diretor do Sindicato Marcelo Gonçalves destaca que a proposta do banco tem graves problemas e precisa ser mais bem debatida e modificada para que o trabalhador não seja prejudicado. “O banco alterou as regras de forma unilateral, reduzindo suas contribuições, o que obrigará os bancários a desembolsar muito mais dinheiro para evitar a redução dos aportes em sua conta. O prejuízo para o trabalhador é evidente com este novo modelo da HolandaPrevi, portanto orientamos aos bancários a não aceitar pressão para aderir. É importante também que os bancários enviem ao Sindicato relatos e documentos que provem essa pressão, além de participar da plenária a ser realizada no dia 10 de junho na sede do Sindicato (Rua São Bento, 413)”, completa Marcelo.

Fonte: Carlos Fernandes / Seeb-SP 

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster