Segundo o levantamento, em novembro o desemprego em seis regiões metropolitanas do país ficou em 13%, a menor taxa desde janeiro de 1998
O desemprego no Brasil em novembro caiu ao menor nível da última década, informa pesquisa da Fundação Seade e do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) divulgada nesta segunda-feira, dia 22.

Segundo o levantamento, em seis regiões metropolitanas do país (Belo Horizonte, Distrito Federal, Porto Alegre, Recife, Salvador e São Paulo) o desemprego ficou em 13% no período, contra 13,4% em outubro. Essa é a menor taxa desde janeiro de 1998.

No mês passado, o contingente de desempregados nas seis regiões foi estimado em 2,627 milhões de pessoas, 71 mil a menos do que em outubro. Já o número de ocupados foi calculado em 17,556 milhões, e a PEA (População Economicamente Ativa) em cerca de 20,183 milhões. "A criação de 72 mil postos de trabalho e a relativa estabilidade da PEA resultaram na retração do contingente de desempregados em 71 mil pessoas", afirma a pesquisa.

São Paulo – Na região metropolitana de São Paulo, o desemprego caiu para 12,3% em novembro, ante 12,5% em outubro. Apesar da relativa estabilidade, esta taxa é a menor para novembro desde 1992 e a menor da série desde fevereiro de 1995. No mês passado, o contingente de desempregados foi estimado em 1,297 milhão de pessoas – 20 mil a menos do que em outubro. O nível de ocupação (9,249 milhões) na região metropolitana cresceu 0,4% em relação ao mês anterior (9,226 milhões), apesar do mês de novembro apresentar, historicamente, uma retração no número de empregos. O rendimento médio real dos ocupados e o dos assalariados aumentou em 0,5% e 1,3% entre setembro e outubro deste ano, passando a R$ 1.216 e R$ 1.246, respectivamente.

IBGE também registra queda no desemprego – Na última sexta-feira, 19, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou uma pesquisa com os mesmos resultados. O nível de desemprego nas seis maiores regiões metropolitanas do país no mês de novembro ficou em 7,6%, considerado estável em relação a outubro, cuja taxa foi de 7,5%. Em comparação a igual período de 2007, houve uma queda de 0,6%. O índice foi o menor para o mês de novembro desde o início da série da Pesquisa Mensal de Emprego, em março de 2002.

Outra boa notícia da pesquisa ficou por conta do volume de empregados terceirizados, que vinha em constante elevação, mas caiu 2,5% entre outubro e novembro, ou menos 83 mil trabalhadores.

Fonte: SEEB – SP, com agências

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster