O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) divulgou carta aberta ao presidente Luiz Inácio da Silva e lançou campanha nacional com abaixo-assinado para tentar barrar no Supremo Tribunal Federal a ofensiva dos bancos contra a restituição dos recursos dos poupadores que sofreram calote com o Plano Verão, de janeiro de 1989. "Os bancos querem barrar as vitórias que a Justiça brasileira vem dando aos poupadores lesados com o Plano Verão. Como perderam em todos os tribunais, agora foram ao Supremo Tribunal Federal e fazem terrorismo econômico, servindo-se do cenário de crise mundial, e dizem que se tiverem de pagar os poupadores, o país vai à ruína", denuncia o Idec.

O Instituto abriu espaço no blog Bancos X Poupadores (www.planoverao.idec.org.br) como ponto de encontro virtual de todos os que foram prejudicados e que pretendem, de alguma forma, se mobilizar para impedir que o STF acate o pedido dos bancos. Nele, serão divulgados eventuais protestos públicos, reuniões e outras formas de manifestação. Veja abaixo a carta o presidente Lula.

CARTA ABERTA AO PRESIDENTE LULA

Senhor presidente,

Os brasileiros sofrem com o mais novo golpe disparado pelos bancos. Carregam também a indignação de ver seu governo virar-lhes as costas e declarar apoio aos bancos!

As ações judiciais que reivindicam as perdas das cadernetas de poupança não questionam o mérito ou a constitucionalidade dos planos econômicos, mas a aplicação retroativa que os bancos deram a eles.

O Banco Central do Brasil pediu para participar, ao lado dos bancos, da ação proposta no STF para frear as milhares de decisões favoráveis aos poupadores, e o ministro da Fazenda, Guido Mantega, declarou que o governo fechou posição contra os poupadores.

Os valores que os bancos terão que devolver aos cidadãos representam migalhas perto de seus expressivos lucros e, portanto, não têm como abalar a estabilidade do sistema financeiro. São cerca de R$ 29 bilhões, enquanto somente em 2008, apenas Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Bradesco, Santander/Real e Itaú/Unibanco lucraram R$ 30,9 bilhões.

Diante dos altíssimos lucros dos bancos, não podemos acreditar que eles não estejam preparados para pagar esta conta, ainda mais que isso ocorrerá ao longo de muitos anos, conforme o término de cada ação judicial.

Enquanto o Poder Judiciário, em todas as suas instâncias, já reconheceu a dívida dos bancos para com a sociedade, o Banco Central e o Ministro Guido Mantega saem em defesa dos bancos?
Senhor presidente, esperamos, confiantes, que Vossa Excelência manifeste-se contra a atitude dos bancos e do Banco Central e demonstre que seu governo quer que os cidadãos continuem a confiar na caderneta de poupança.

Idec – Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster