Contraf-CUT

O Fórum é formado por representantes de diversas entidades sindicais, MPT, MTE, ALAL, Anamatra e OAB - Contraf-CUT

O Fórum é formado por representantes de diversas entidades sindicais, MPT, MTE, ALAL, Anamatra e OAB

O Fórum Nacional de Combate à Terceirização se reuniu, nesta terça-feira (26), na sede da Contraf-CUT, em São Paulo, para debater os últimos acontecimentos no cenário político brasileiro, como a aprovação, pela Câmara Federal, do início do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff e possíveis impactos com a retirada de direitos dos trabalhadores, principalmente no caso da terceirização.

O Fórum, que é formado por representantes de diversas entidades sindicais, MPT, MTE, ALAL, Anamatra, Estudantes, OAB e centrais sindicais, deliberou a produção de uma nota de manifesto a ser pronunciado no plenário do Senado federal, assim como fizeram os juízes do Trabalho, contra a imposição de retrocessos aos direitos trabalhistas.

Outra decisão foi que a última audiência pública sobre terceirização, inicialmente marcada para o dia 17 de maio, em Brasília, seja adiada em virtude do possível golpe em andamento no Congresso Nacional.

Para o Secretário de Organização do Ramo Financeiro da Contraf-CUT, Carlindo Dias, o Abelha, o Fórum e a Comissão de Direitos Humanos do Senado Federal, presidida pelo senador Paulo Paim (PT/RS), encabeçaram uma verdadeira cruzada nacional contra a terceirização. “As Audiências públicas foram realizadas pelo Brasil inteiro, em parceria com as assembleias legislativas, para mostrar o quão prejudicial é este projeto. E a Contraf-CUT esteve presente em praticamente todas e não podemos esmorecer, a luta deve continuar sempre”, garantiu.

Fonte: Contraf-CUT

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster