O Conselho Deliberativo Nacional (CDN) da Fenae iniciou reunião na terça-feira, dia 11, em Brasília, tendo como desfecho dos trabalhos do dia uma palestra do senador Paulo Paim (PT/RS) sobre a mobilização pelo fim do fator previdenciário e em defesa dos aposentados.

O fator previdenciário é uma fórmula adotada como alternativa à recusa da sociedade e do Congresso Nacional à exigência de idade mínima para aposentadoria. A idade mínima foi barrada pelo Congresso em 1988 e o fator previdenciário foi aprovado em 1989, pela força da aliança PSDB/PFL (hoje, DEM), que comandava as iniciativas do governo da época.

O valor da aposentadoria paga pela Previdência Social passou a ser calculado com base na média aritmética dos 80% maiores salários de contribuição (corrigidos monetariamente) referentes ao período de julho de 1994 até o mês da aposentadoria, sendo essa média ajustada pelo fator previdenciário.

Segundo o senador Paim, a redução no valor das aposentadorias provocada pelo fator previdenciário é, em média, de 40% para mulheres e de 35% para homens. No caso de professoras, a redução chega a 50%.

O projeto que põe fim ao fator previdenciário já foi aprovado pelo Senado e está em tramitação na Câmara dos Deputados. Paulo Paim avalia que as negociações no âmbito do Parlamento serão aceleradas neste mês de agosto, e diz que chegou a hora de aumentar a pressão por parte dos movimentos sociais. "Acho que as centrais sindicais precisam chegar mais, porque estamos entrando num momento decisivo", diz ele.

O presidente da Fenae, Pedro Eugenio Leite, lembrou a posição contrária ao fator previdenciário mantida desde sempre pelo movimento sindical e associativo dos empregados da Caixa, destacando o recente lançamento da cartilha "Em defesa das aposentadorias. Fim ao fator previdenciário" pela Federação, Apcefs e pela Contraf/CUT.

A despeito da ênfase na defesa de seu projeto de fim do fator, Paim fez questão de abordar também a chamada fórmula 85/95, uma alternativa que está também em debate no Congresso, tendo como autor o deputado Pepe Vargas (PT/RS). Pela referida fórmula, o trabalhador ou trabalhadora poderá se aposentar sem o fator no caso de a soma de sua idade e de seu tempo de contribuição resultar em 95 anos para homens e em 85 para mulheres.

O senador informou que a proposta de Pepe Vargas será objeto de discussão entre parlamentares e representantes do governo, em reunião agendada para esta quarta-feira, dia 12 de agosto.

Condições de trabalho na Caixa preocupam CDN

O CDN dedicou ontem longo tempo ao debate acerca das questões a serem tratadas com a Caixa na mesa de negociações específicas da campanha salarial deste ano. Após apresentação dos temas pelo coordenador da Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa) e diretor de Administração e Finanças da Fenae, Jair Pedro Ferreira, os membros do CDN demonstraram especial preocupação com o quadro de deterioração das condições de trabalho vivenciada pelos empregados em unidades por todo o país.

As discussões sobre as condições de trabalho nas unidades da Caixa serão condensadas em um manifesto do CDN dirigido à direção da empresa.

O primeiro dia de reunião do CDN tratou ainda de questões relativas à Funcef e da criação da Gerência de Comunicação na Fenae, a ser ocupada pela jornalista Tatiana Geishoffer.

CDN: mais reunião

Hoje e amanhã, em Brasília, a reunião do CDN da Fenae prossegue com debates sobre temas como Fenae Corretora, Gerência de Responsabilidade Social Empresarial (Gerse), programa PAR, planejamento estratégico (campanha novos associados – avaliação da Corrida do Pessoal da Caixa e dos eventos programados para outubro), palestra sobre o novo Refis (lei 11.491/09) e adequação do Estatuto ao novo Código Civil brasileiro e palestra sobre escrituração contábil: regime de caixa e regime de competência.

Fonte: Fenae

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster