Depois de um ano de intenso trabalho contra a violência sexual infanto-juvenil, a FETEC/CUT-SP relança a campanha que levou o tema a diversos municípios do Estado de SP e a inúmeras entidades da sociedade civil organizada, chegando inclusive a ultrapassar a fronteira do Cone Sul.

Realizada em conjunto com a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro – CONTRAF CUT, o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região e a Afubesp – Associação dos Funcionários do Grupo Santander, a campanha visa alertar e conscientizar a população sobre abusos sexuais e exploração sexual comercial contra crianças e adolescentes, suas causas, consequências, formas de identificação e de prevenção.

Com o slogan "Calar-se é permitir, Denunciar é proteger! Disque 100", a campanha conta com o apoio do CONANDA – Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, do Fórum Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, da Jornada Cidadã e da CUT SP , informar e qualificar a intervenção contra a violência infanto-juvenil.

"Ao longo de 2008, desenvolvemos um importante trabalho em todo o Estado de SP, por meio dos sindicatos filiados à FETEC SP e várias entidades do Movimento de Defesa da Criança e do Adolescente, de forma a contribuir contra a impunidade em relação a esse tipo de crime, pela reafirmação do Plano Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual Infanto-Juvenil e pelo fortalecimento da participação da sociedade nessa luta", esclarece a idealizadora da campanha, Maria Izabel da Silva, diretora de Políticas Sociais da FETEC SP.

O relançamento da campanha conta com a publicação da segunda edição da cartilha, cartazes, adesivos para carro e de um jornal para o grande público para distribuição no dia 18 de Maio – Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infanto-Juvenil.

Os números da violência – No ano de 2008, o Disque 100, criado para receber denúncias de exploração e abuso sexual infanto-juvenil, recebeu em média, 89 ligações por dia.

De acordo com o Ministério da Saúde, é justamente esse tipo de violência a principal causa de atendimentos de crianças e adolescentes nos serviços públicos de referência de violências. Segundo dados coletados entre 2006 e 2007, dos 1.939 registros de violência contra crianças, 845 (44%) foram por violências sexuais. As meninas são as principais vítimas, com 60% do total dos casos registrados. A residência foi o local de maior ocorrência (58%) dos casos de violência

Assim como na infância, a violência sexual foi a principal causa de atendimento de adolescentes nos serviços de referência de violência. Dos 2.370 registros, 1.335 (56%) foram por violências sexuais. As adolescentes mulheres foram as principais vítimas com 78% do total dos casos de violências.

Para a maioria, o local onde ocorreu a violência foi na própria residência com 58% dos registros, seguido pela via pública com 20%.

Quando e onde – O evento de relançamento será nesta terça-feira 5, a partir das 8h30, no Auditório Azul do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região (Rua São Bento, 413, Centro, São Paulo).

Além de organizadores da campanha, confirmaram presença Adi dos Santos Lima – Secretário Geral da CUT SP, Rosimar Dias Machado – Jornada Cidadã, Marta Ayala – Central Sindical das Américas – CSA, deputado Paulo Henrique Lustosa – Frente Parlamentar pelos Direitos da Infância, Givanildo Manoel – Fórum Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente/SP, Welinton Pereira da Silva – Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente.

Programação
8h30 – Café da Manhã
9h30 – Apresentação do Balanço e Relançamento da Campanha
12h – Encerramento

Fonte: Fetec/SP

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster