Previsão é que os bancos de pequeno e médio portes encolham em 2009
São Paulo – O ano que se inicia será de muita luta para os funcionários dos bancos de médio e pequeno portes instalados no Brasil. Uma das principais linhas de atuação do Sindicato para 2009 será pela manutenção dos empregos nessas instituições, que foram as mais afetadas pela crise financeira internacional. A previsão dos analistas é que os bancos menores devem encolher este ano.

Segundo o presidente do Sindicato, Luiz Cláudio Marcolino, ao primeiro sinal da crise esses bancos iniciaram o processo de demissão. Entre setembro e novembro de 2008, as dispensas nas instituições financeiras de médio e pequeno portes em São Paulo e Osasco subiram 133% em relação ao mesmo período do ano passado.

“O governo tem tomado medidas para aumentar a circulação de crédito no país e ajudar os bancos menores. Apesar disso, essas empresas não têm mostrado responsabilidade social e estão dispensando seus trabalhadores. É por isso que lutamos para garantir contrapartidas sociais dos bancos, como a manutenção dos empregos. As instituições estão se utilizando de recursos públicos, não pode haver demissões”, comenta Marcolino.

O presidente do Sindicato lembra que no último dia útil de 2008, o Conselho Monetário Nacional alterou a metodologia usada para cálculo de patrimônio mínimo das instituições como garantia de crédito. A medida, segundo Marcolino, poderá representar significativa ajuda aos bancos menores.

Previsões pessimistas – Em reportagem publicada nesta segunda-feira, dia 5, pela Gazeta Mercantil, analistas de diversos setores apostam que os bancos de pequeno e médio portes que atuam no país vão encolher em 2009. Para eles, mesmo os números do último trimestre de 2008, que serão apresentados a partir do final deste mês, devem mostrar volatilidade nas operações de tesouraria e aumento dos custos, principalmente de gastos com despesas trabalhistas, pois boa parte dessas instituições reduziu o quadro de funcionários.

O resultado previsto para 2009 se opõe e muito aos números de 2008, quando os bancos menores engordaram os ativos e obtiveram rentabilidade histórica. Conforme pesquisa da agência de risco Austin Rating, o conjunto de nove instituições do segmento (BicBanco, Sofisa, Pine, Indusval Multistock, PanAmericano, Daycoval, ABC Brasil, Cruzeiro do Sul e Paraná Banco) registrou lucro líquido 61% maior no acumulado de 2008 até setembro, de R$ 1,51 bilhão, ante os R$ 935,63 milhões obtidos em igual período do ano anterior.

Fonte: SEEB – SP, com informações da Gazeta Mercantil

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster