A Contraf-CUT e as Comissões de Organização dos Empregados (COEs) do Itaú e Unibanco voltam a se reunir, nesta quinta-feira, dia 28, com a direção do banco, para dar sequência às negociações frente ao processo de fusão atualmente em curso. Na pauta, garantia de emprego, aposentadoria e benefícios, dentre os quais PCS e convênio médio.

Na última negociação em abril, o banco apresentou as regras do centro de realocação profissional e iniciou os debates em torno do programa de incentivo à aposentadoria de emprego por tempo determinado e de um novo modelo da Participação Complementar nos Resultados (PCR) para os trabalhadores dos dois bancos.

"Nossas prioridades diante da fusão Itaú Unibanco é a garantia de emprego e a extensão dos melhores benefícios para o conjunto dos bancários provenientes dos dois bancos", avisa Jair Alves, coordenador da COE UNibanco.

Conforme o dirigente, a instituição tem condições de sobra de atender às reivindicações dos trabalhadores.

No primeiro trimestre de 2009, o banco anunciou lucro líquido de R$ 2,015 bilhões, além de uma alta de 25,1% na carteira de crédito ( R$ 272,7 bilhões) em comparação ao mesmo período do ano passado, quando a marca ficou em R$ 218 bilhões.

A negociação está marcada para às 11h30, em São Paulo.

Fonte: Fetec SP

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster