O gerente da agência General Valadão, Jorge Aragão, foi destituído do cargo pelo superintendente do BB em Sergipe, Neirim Goulart. Surgem comentários de que Goulart pretende remover todos os funcionários que, de alguma forma, foram ligados ao seu antecessor, Everton Teixeira.

Jorge era gestor de agência nível I, que não sofreu queda em seu desempenho, visto que sua unidade vem a cinco semestres seguidos obtendo as premiações Ouro e 200 anos no Sinergia. Tem certificação para gerenciar agências nível I. Em todo o Estado do Sergipe, só existem dois funcionários com essa certificação.

Diante desses fatos, ir para uma agência nível II, seria uma punição, pois teria prejuízo financeiro. É normal alguém ser punido por fazer sucesso? Jorge foi. Como alternativa foi oferecida uma agência nível I na cidade de Maceió-AL, o que ele ponderou, expondo suas dificuldades pessoais. Disse que estava concluindo o curso de direito na UFS e prestes a adquirir o tempo para se aposentar, faltando apenas seis meses.

Não adiantou nada. Jorge chegou para trabalhar no dia 19 de dezembro, às 8h, e recebeu o comunicado de que estava destituído. Segundo ele, não existem restrições contra sua pessoa. Não foi interpelado e não responde a processos administrativos. A prova disso é que lhe fora oferecida uma agência nível I na cidade de Maceió.

O Sindicato dos bancários de Sergipe esteve na superintendência buscando informações sobre o caso e não ficou satisfeito com a exposição apresentada. Sem motivos, ninguém deve ser punido, seja no BB ou em qualquer lugar do mundo, não é?.

Fonte: Edivânia Freire – Seeb/SE

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster