Uma funcionária do Banco do Brasil foi sequestrada junto com a família num roubo à agência do banco na Vila Yara, em Osasco, na Grande São Paulo, na sexta-feira (3). Representantes dos trabalhadores estiveram no local para cobrar assistência à bancária e garantiram o fechamento do estabelecimento durante todo o dia.

Segundo informações no boletim de ocorrência registrado no 6º DP de Osasco (como extorsão mediante sequestro) a bancária saiu da agência na quinta-feria (2) depois do expediente em direção à sua residência.

Durante o percurso, a funcionária foi abordada por bandidos no seu veículo que obrigaram a seguir até sua casa. Ainda segundo informações que constam no BO, os bandidos demonstravam conhecer a rotina e o endereço da gerente.

Ao chegar na casa da vítima, a quadrilha rendeu os filhos da bancária e levaram todos a um cativeiro desconhecido, onde foram obrigados a permanecer por toda a noite sob constante ameaça de morte.

Na manhã da sexta-feira dia 3, a bancária foi obrigada a seguir normalmente para a agência com a ordem dos assaltantes de retirar o dinheiro do cofre e entregar a eles. A funcionária cumpriu a determinação dos bandidos que soltaram os filhos da vítima.

O funcionário do BB e diretor executivo do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Ernesto Izumi, diz que vai acompanhar o caso para garantir todos os direitos da bancária.

"Lembramos que a Convenção Coletiva de Trabalho prevê que a funcionária e os seus dependentes têm direito a apoio psicológico e, para sua segurança, à realocação para outra agência. Ressaltamos também que a abertura da Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT) está garantida. É importante que os bancários se atentem a esse procedimento, pois sintomas do adoecimento podem surgir posteriormente", afirma o dirigente sindical.

Fonte: Carlos Fernandes – Seeb São Paulo

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster