O Sindicato dos Bancários de Curitiba e região (Seeb Curitiba) encaminhará, na tarde desta sexta-feira, dia 30 de janeiro, um ofício para a Polícia Federal solicitando a fiscalização das instituições financeiras visando o cumprimento da lei nº. 7.102, de 20 de junho de 1983.

A Lei determina que, caso as exigências de segurança das agências bancárias – que incluem um contingente mínimo de vigilantes, não sejam cumpridas, o funcionamento da unidade é proibido. A responsabilidade pela fiscalização das exigências de segurança das agências bancárias é atribuição da Polícia Federal.

Os trabalhadores vigilantes do Estado do Paraná aprovaram, na noite de ontem (29 de janeiro), a realização de greve por tempo indeterminado a partir de segunda-feira (02 de fevereiro).

A greve atingiria especialmente as agências bancárias da capital, já que os bancos são um dos principais contratantes de empresas de segurança privada, além do sistema de transporte de valores, prejudicando a reposição dos caixas eletrônicos. Em Curitiba e região, existem cerca de 340 agências, no Paraná, o número é de aproximadamente 1,3 mil.

Segundo o presidente do Sindicato dos Vigilantes, João Soares, a negociação estava em andamento com os empresários do setor, mas não avançou. "Os empresários afirmam que não tem condições de conceder o reajuste que estamos pleiteando diante da crise econômica mundial", explica. Segundo Soares, os empresários consideram "já estar fazendo muito" em manter os empregos dos trabalhadores.

Caso semelhante em São Paulo – Em junho de 2008, os vigilantes de São Paulo entraram em greve e cerca de 780 agências bancárias não tiveram expediente. O Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região exigiu dos bancos o cumprimento da Lei nº 7.102 e ingressou com ações judiciais contra as instituições financeiras que, colocando em risco a vida de bancários e clientes, exigiram a abertura das agências.

Apoio aos vigilantes – O Sindicato dos Bancários de Curitiba e região se compromete com a categoria bancária a realizar os mesmos procedimentos adotados em São Paulo e proteger a vida dos clientes, usuários e trabalhadores, lutando pelo fechamento das agências que não apresentarem condições mínimas de segurança. Mais ainda, o Sindicato dos Bancários de Curitiba e região apóia a luta dos trabalhadores vigilantes por condições de trabalho mais dignas.

Fonte: Patrícia Meyer – Seeb Curitiba

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster