José Alfredo
Mobilização, consciência e luta para conquistar

A disposição de luta dos metalúrgicos da CUT mais uma vez resultou em mais uma importante conquista em duas montadoras: a reversão de demissões na Volkswagen, em Taubaté, e na Mercedes-Benz, em São Bernardo do Campo, ambas em São Paulo. Nas duas empresas, os trabalhadores haviam cruzado os braços assim que as empresas anunciaram as dispensas.

Na Volks, a greve começou no dia 17, quando a empresa demitiu 50 trabalhadores (número revisto para 43 ao longo do processo). Na Mercedes-Benz, 1.500 metalúrgicos haviam recebido por telegrama o aviso de dispensa e a greve começou no dia 24.

A paralisação teve a adesão de 100% dos metalúrgicos nas duas fábricas e, durante o movimento, recebeu manifestações de solidariedade de trabalhadores de várias partes do mundo.

Os acordos

Na Volkswagen, os 43 funcionários dispensados serão readmitidos a partir desta terça-feira (1º) e a empresa abrirá um Programa de Demissão Voluntária. Além disso, foi feito um aditamento ao acordo coletivo de trabalho referente ao reajuste das cláusulas econômicas (as sociais foram renovadas até 2018). Ficou acertado também que, caso necessário, empresa e Sindicato negociarão layoff (suspensão temporária do emprego) ou a adesão ao Programa de Proteção ao Emprego (PPE).

Já a Mercedes Benz cancelou as 1.500 demissões e a assembleia dos trabalhadores aprovou a adesão ao PPE, com 20% de redução da jornada. Isso vai assegurar estabilidade no emprego aos 10 mil trabalhadores até 31 de agosto de 2016. Os metalúrgicos aprovaram também a proposta de reajuste das cláusulas econômicas negociadas entre empresa e Sindicato. Os dias parados serão descontados do banco de horas.

O secretário geral da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT), João Cayres, parabenizou os trabalhadores nas duas montadoras pela vitória de seus movimentos. “Fica claro o poder da nossa mobilização e da consciência de que, sem luta, não asseguramos direitos. Os metalúrgicos da CUT deram, mais uma vez, uma demonstração de firmeza, unidade e solidariedade de classe. E o resultado está aí: os empregos foram reconquistados”, destacou.

Ele participou da assembleia na Mercedes Benz, ao lado de dirigentes do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e de sindicalistas que compõem a nova direção estadual da CUT/SP, eleita na última sexta-feira (28). João Cayres é um dos eleitos e assumiu a Secretaria Geral da CUT/SP.

Fonte: CNM-CUT

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster