Em mais um ato de desrespeito com seus trabalhadores, o HSBC descontou da segunda parcela da PLR dos bancários da área negocial o valor de seus programas próprios de remuneração (PPR e PTI, programa específico das gerências, que teve seu nome alterado para PSV). As mudanças não foram sequer informadas à representação dos trabalhadores, que repudia essa atitude unilateral e absurda do banco.

A Contraf/CUT recebeu diversas manifestações indignadas de bancários, por telefone e e-mail, protestando contra a mudança arbitrária. "Mais uma vez o banco inglês demonstra total falta de consideração aos seus funcionários brasileiros", afirma Sérgio Siqueira, diretor da Contraf/CUT e funcionário do banco. "Estamos aguardando a divulgação do balanço do banco para que possamos tomar as medidas cabíveis contra o banco", disse.

Sérgio lembra que a Contraf/CUT e o movimento sindical cutista não assinaram o último acordo de PPR justamente por não concordar com várias mudanças apresentadas pelo banco que só prejudicariam aos bancários. "Trata-se de uma total falta de reconhecimento pelos trabalhaos prestados pelos funcionários. O clima em todo o Brasil é de indignação", afirma Sérgio.

Fonte: Contraf/CUT, com Seeb SP

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster