O INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), que mede a inflação das famílias de rendimento menor (até cinco salários mínimos), teve deflação de 0,13% em julho. A variação é inferior à alta de 0,28% em junho. O índice acumula alta de 3,17% no ano e de 6,38% em 12 meses, abaixo dos 6,97% dos 12 meses anteriores.

Os produtos alimentícios apresentaram variação de 0,40% em julho, enquanto os não alimentícios ficaram com -0,01%.

Entre os índices regionais, o maior foi registrado em Curitiba (0,41%), em virtude do aumento da energia elétrica (3,56%), que, junto com a redução de 31,4% nos PIS, Pasep e Cofins refletiu o reajuste de 8,64% nas tarifas a partir de 9 de julho.

O menor índice foi registrado no Rio de Janeiro (-0,61%). Isso ocorreu diante da queda de 4,84% nas tarifas dos ônibus urbanos, tendo em vista a redução de 6,78% vigente desde 20 de junho.

Em São Paulo, o INPC teve deflação de 0,21% em julho.

Para o cálculo do índice foram comparados os preços coletados no período de 29 de junho a 29 de julho com os vigentes em 29 de maio a 28 de junho.

O INPC abrange nove regiões metropolitanas do país, além de Goiânia e Brasília.

Fonte: UOL

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster