O irmão do deputado estadual Said Mourad (PSC) foi morto na tarde de quinta-feira, dia 24, em são Paulo, após tentativa de roubo no Ipiranga, zona sul.

Segundo a Polícia Militar, Ali Mourad, 51 anos, saía de uma agência bancária quando foi abordado por dois assaltantes. O nome do banco não foi revelado.

Os dois homens estavam em uma moto e esperavam Ali na rua. Ao abordá-lo, os assassinos não encontraram o dinheiro esperado e atiraram. O irmão do deputado tinha no momento do assalto R$ 300, que não foram levados.

Por volta das 15h30, a polícia prendeu uma pessoa suspeita de participar do crime.

Assista reportagem do Jornal da Record:
{flv}ER7_RE_JR_CRIMESREPETEM_452kbps_2011-02-23{/flv}

A Record perdeu uma boa oportunidade para ouvir representantes dos bancários e dos vigilantes sobre as propostas dos trabalhadores para prevenir esse crime. No final do ano passado, a Contraf-CUT e a CNTV lançaram um modelo de projeto de lei municipal contra a "saidinha de banco".

Os trabalhadores propõem medidas para melhorar a segurança das agências, como a instalação de biombos entre a fila de espera e os caixas e a colocação de divisórias individualizadas entre os caixas, inclusive os eletrônicos.

Além disso, uma nova lei estadual pode obrigar os bancos a colocar divisórias nos caixas (tanto nos eletrônicos quanto nos operados por funcionários), isolando quem faz saques dos outros clientes.

O projeto do deputado Vanderlei Siraque (PT) foi aprovado na terça-feira, dia 22, pela Assembleia Legislativa de São Paulo, e tem por objetivo evitar a ação de olheiros dentro das agências e posteriores roubos nas ruas, chamada de crime da "saidinha" dos bancos. Para virar lei, o projeto depende da sanção do governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Fonte: Contraf-CUT com Destak e R7

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster