O fim de ano é de mudanças para as operações do Itaú e do Itaú BBA na Europa. A instituição recebeu nesta quinta-feira a autorização do Banco Central para mudar a sede de suas operações no Velho Continente de Lisboa, em Portugal, para Londres, no Reino Unido.

Com isso, o escritório do Itau BBA International UK na City, distrito financeiro londrino, vai centralizar as áreas de negócios corporativos, banco de investimento, tesouraria e desenvolvimento de produtos de private banking na Europa. Não há operações com clientes de varejo na região.

Ao mesmo tempo, a unidade europeia do Itau BBA recebeu um aumento de capital de US$ 200 milhões de seu controlador integral, o Itaú Unibanco. Com isso, o capital total da unidade chega a US$ 900 milhões, considerado "bastante confortável" por Almir Vignoto, diretor-executivo do Itau BBA International no Reino Unido.

O banco espera que o Financial Stability Authority (FSA), principal entidade reguladora do mercado no Reino Unido, autorize a mudança da sede no primeiro trimestre de 2013. "Os nossos clientes estão aqui", disse Vignoto. "O ambiente de relacionamentos tanto corporate quanto de instituições financeiras, assim como o ambiente de tesouraria, é extremamente desenvolvido e motivador para novos negócios."

A partir de Londres, a equipe atual de 50 funcionários do Itaú BBA – que pode chegar a 70 no fim de 2013 – trabalhará para desenvolver produtos financeiros para clientes europeus que têm interesses e negócios no Brasil e na América Latina. Entre os principais estão linhas de financiamento e instrumentos de proteção contra oscilação de moeda e de taxas de juros (hedge), explica Vignoto.

Outra área cuidará da prospecção de negócios de banco de investimento, como os casos de clientes europeus interessados em abrir capital de suas unidades no Brasil, por exemplo, ou que consideram se valer do mercado de capitais local para fazer emissão de dívida. Também funcionará a partir do mesmo escritório as operações da corretora do Itaú na Europa.

Paralelamente à mudança de sede de Portugal para o Reino Unido, o Itaú também mudará o principal escritório voltado para o relacionamento com clientes de private banking (segmento de altíssima renda) de Luxemburgo para Zurique, na Suíça. Os produtos para esses clientes, entretanto, serão desenvolvidos principalmente a partir de Londres. Em Lisboa continuarão as operações de processamento de operações ("back and middle office", em inglês), e de manutenção de estrutura de tecnologia, entre outras.

Vignoto explica que, em 1994, quando iniciou as operações da sede lisboeta, o banco considerava Portugal como uma boa porta de entrada para a União Europeia, em razão dos vínculos próximos do país com o Brasil. Diante do cenário de crise recente, que atingiu fortemente o país, tornou-se mais interessante mudar as operações para Londres. Na Europa, o Itaú conta ainda com escritórios em Paris, Madri e Frankfurt.

Fonte: Valor Econômico / Filipe Pacheco e Daniela Machado

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster