O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, sancionou a lei que proíbe o uso de aparelhos celulares no interior das agências e postos bancários, e nas áreas destinadas aos caixas eletrônicos no município. O objetivo seria evitar a comunicação entre bandidos e coibir os crimes chamados de ‘saidinha’ de banco.

A lei nº 15.429 foi publicada no Diário Oficial do Município no último sábado 27 e passa a vigorar a partir desta segunda-feira 29. "Essa medida é inócua para combater a ‘saidinha’ e apenas restringe o direito de o cidadão se comunicar. Em muitos bancos, as ligações telefônicas são controladas por centrais que vivem sobrecarregadas e o bancário usa o próprio celular para falar com clientes e familiares", diz a presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Juvandia Moreira.

Em 5 de agosto, o Sindicato enviou carta à Prefeitura, solicitando audiência com o prefeito para discutir o problema que a lei poderia acarretar na rotina de bancários e clientes e apresentar outras medidas que mais eficientes no combate ao crime. No entanto, Kassab ignorou a solicitação e sancionou a lei.

Outras medidas

O Sindicato reivindica das instituições financeiras outras medidas para coibir a ação de marginais na chamada "saidinha de banco", entre elas a utilização de mecanismos que dificultem a visualização das operações que os clientes fazem no caixa e no auto-atendimento.

"Os biombos e a isenção de cobrança de tarifas para transações como TED e DOC, tornando desnecessários os saques de grandes quantias, são medidas que podem diminuir a ação dos bandidos com efetividade, ao contrário da lei aprovada por Kassab", completa Juvandia.

A lei prevê multa de R$ 2,5 mil ao banco quando houver a infração. O valor dobra em caso de reincidência.

Fonte: Seeb São Paulo

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster