durval-ferreira-15-03-11.jpg
durval-ferreira-15-03-11.jpgA lei que diminui com os assaltos a clientes de agências bancárias, mais conhecida como ‘Saidinha de Banco’, de autoria do presidente da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), vereador Durval Ferreira (PP), vem ganhando repercussão nacional e sendo implantada, nos últimos dois anos, em vários estados da federação. Desta vez, quem resolveu adotar a medida foi o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), que sancionou esta semana a lei que foi pioneira na Capital paraibana.

Em São Paulo, com a sanção do governador, os bancos deverão instalar divisórias entre os caixas para coibir assaltos na saída das instituições financeiras. O projeto foi aprovado no dia 15 de fevereiro pela Assembleia Legislativa paulista, mas a regra ainda não tem data para entrar em vigor.
 
Os roubos que acontecem na saída dos bancos geralmente contam com a ajuda de pessoas que observam as vítimas nas agências e avisam comparsas por celular que, muitas vezes, está do lado de fora, dando cobertura e ajudando na ação criminosa. As divisórias têm o objetivo de dificultar que os bandidos vejam que tipo de operação bancária, principalmente a retirada de dinheiro, o cliente está realizando nos caixas.
 
As divisórias deverão ter 1,8 m e ser fabricadas com material opaco. Por sua vez, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) não é a favor da lei, pois acredita que a medida poderá ter efeito contrário. O diretor técnico da entidade voltou a afirmar que a instalação das divisórias vai facilitar a investida dos ladrões, porque os seguranças não terão visibilidade ampla de todo o interior da agência.
 
Mas Durval Ferreira não concorda com essa tese da Febraban. Ele propõe que os bancos contratem mais seguranças para fazer o monitoramento da movimentação dos clientes no momento da operação bancária nos caixas. Durval informa que, em João Pessoa, a lei reduziu em quase 95% a quantidade de assaltos a clientes, que acontecem na parte externa das agências, cuja modalidade criminosa é denominada de ‘Saidinha de Banco’. “Muitos estabelecimentos já entenderam e absorveram a importância da medida para garantir a segurança da população. Essa é um lei que tem um alcance social muito grande e que veio para dar mais tranqüilidade as pessoas que procuraram os bancos de nossa cidade”, disse.
 
Celulares  – Na lei municipal 11.359, de autoria do vereador Durval Ferreira e em vigor na Capital paraibana desde janeiro de 2009, além de determinar a instalação de um painel opaco entre os caixas e os clientes em espera, proíbe o uso de aparelhos celulares no interior das agências bancárias, na área de atendimento dos caixas.
 
Com a implantação da lei nas agências de João Pessoa, houve uma redução significativa dos crimes de ‘saidinha de banco’. Inclusive, a mídia nacional tem repercutido de maneira muito positiva o sucesso da aplicação dessa lei
 
No final do ano passado, a redução brusca no número de ocorrências de roubos e furtos nas saídas de bancos da Capital foi reforçada pelo então delegado do Grupo de Operações Especiais da Polícia Militar (GOE), Wálber Virgolino. “Desde que as medidas estabelecidas por essas leis foram adotadas, posso afirmar que houve uma redução de no mínimo 80% dessa modalidade de crime, podendo ter atingido até os 100%. O GOE, por exemplo, não registrou nenhuma ocorrência desse tipo desde a aplicação da lei”, informava o delegado.
 
Fonte: CMJP / Paulo de Pádua e Jorge Rezende
Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster