As agências de Salvador têm 15 dias, contados a partir desta sexta-feira (18), para se adaptarem as leis municipais 8.025/2011 e 8.042/2011, que determinam a instalação de biombos e divisórias na área de atendimento ao cliente nos caixas e de câmeras de monitoramento nas áreas internas e externas. 


Apesar de publicadas desde julho de 2011, as 271 unidades bancárias de Salvador ainda não se adequaram. A verdade é que os bancos nada fizeram durante os 180 dias iniciais de prazo.

A decisão para o cumprimento das leis foi tomada em uma reunião entre o secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa, e o superintendente de Controle e Ordenamento do Uso do Solo do Município, Cláudio Silva.

Durante o encontro, foram debatidas ações a serem tomadas pelas unidades bancárias, a fim de garantir a segurança da população e dos trabalhadores, já que, com o passar dos dias, as ocorrências de ataques só aumentam. De janeiro até agora, foram 80 ataques a bancos, aumento de 115% em relação ao mesmo período do ano passado na capital baiana.

As determinações visam coibir crimes como "saidinha de banco", pois os biombos evitariam que os assaltantes visualizassem as movimentações financeiras dos clientes. Mas, é preciso atentar que só isso não basta. A segurança é de responsabilidade dos bancos. Outros investimentos são necessários.

A fiscalização do prazo fica por conta da SSP, em parceria com a Sucom (Superintendência de Controle e Ordenamento do Uso do Solo). De acordo com o superintendente, Cláudio Silva, as organizações financeiras que descumprirem as leis terão as portas fechadas.

Fonte: Contraf-CUT com Seeb Bahia e Tribuna da Bahia

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster