mulher_gravida_dv1_2.jpg
mulher_gravida_dv1_2.jpgOutros três bancos fazem assembléia nas próximas semanas para estender conquista a suas funcionárias – (São Paulo) O banco VR é a segunda instituição, além do Banco do Brasil, a adotar a licença-maternidade de seis meses para suas funcionárias. A conquista foi garantida após negociação com o Sindicato e aprovada em assembléia no dia 2 de abril. Nas próximas semanas, outros três bancos fazem assembléia e estendem a conquista às bancárias: ING no dia 28 de abril, Intercap no dia 30 e IBI em 5 de maio.

Embora prevista em lei, a ampliação da licença-maternidade é facultativa às empresas. Mais de 90 municípios e 11 estados brasileiros adotam a licença-maternidade de seis meses para suas funcionárias. Grandes empresas como Nestlé, Garoto, Fersol, Light, Cosipa, Wal Mart e Eurofarma também concedem afastamento maior para suas funcionárias. Os bancos, no entanto, recusaram-se, durante a campanha salarial 2008, a debater o assunto.

“Esses bancos estão comprovando o que o Sindicato já dizia: o setor tem plenas condições de atender à reivindicação do Sindicato e ampliar a licença-maternidade de quatro para seis meses. Isso é bom para as bancárias, para seus filhos e para toda a sociedade que vai contar com cidadãos mais fortes, sadios e equilibrados. A importância da amamentação por seis meses é cientificamente comprovada”, diz Juvandia Moreira, secretária-geral do Sindicato que, desde o início de março, passou a adotar a licença ampliada para dar o exemplo. “Vamos continuar cobrando até que todos os bancos adotem a licença-maternidade de seis meses.”

Laia também:
> "Ficarei mais um pouco com minha filha", diz funcionária do BB

Fonte: SEEB – SP / Cláudia Mota

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster