Crédito: João Ubaldo/Seeb Bahia
João Ubaldo/Seeb Bahia
Bancários da Bahia mobilizam categoria e dialogam com clientes

O Sindicato da Bahia continua com a mobilização nas agências para pressionar os bancos a atenderem as reivindicações da categoria, em campanha salarial. Nesta segunda-feira (15/09), Dia Nacional de Luta, os diretores da entidade realizaram manifestações em seis agências da Calçada. No total, cerca de 140 unidades foram percorridas desde o início da campanha salarial.

Com data-base em 1º de setembro, os bancários reivindicam reajuste salarial de 12,5% (aumento real de 5,4% mais a inflação projetada em 6,76%), fim das demissões, ampliação do quadro de funcionários para desafogar as unidades, fim das metas e do assédio moral e medidas de segurança para coibir os ataques.

Para os clientes, a manifestação é válida porque reflete também na demora no atendimento. “Nós sabemos que o problema não é o funcionário, mas sim do banco que não contrata. Eu já passei mais de duas horas esperando nas agências. Muito absurdo”, afirma a autônoma Natali Alexandre, 26 anos, na agência do Santander. Confira abaixo outras reivindicações.

PRINCIPAIS REIVINDICAÇÕES

– PLR: três salários mais R$ 6.247,00

– Piso: R$ 2.979,25 (salário mínimo do Dieese)

– Vale alimentação, refeição, 13ª cesta e auxílio-creche|babá: R$ 724,00 (salário mínimo)

– 14º salário

– Fim das demissões, ampliação das contratações, combate à terceirização e a precarização das condições de trabalho, adoção da Convenção 158 da OIT que proíbe dispensas imotivadas

– Medidas de segurança, como dois vigilantes durante o expediente, porta-giratória com detector de metais desde a área de autoatendimento, fim da guarda das chaves de cofres e agências por bancários

– adicional de risco de 30%

– Igualdade de oportunidades

Fonte: Seeb Bahia

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster