A economia brasileira registrou a criação de 34.818 vagas com carteira assinada em março, no segundo mês de resultados positivos –em fevereiro, primeira alta após três meses de retração, foram criadas 9.179 vagas. Os dados são Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) e foram divulgados nesta quarta-feira pelo Ministério do Trabalho.

O saldo de março representa a diferença entre contratações (1,419 milhão) e demissões (1,384 milhão) no período. Apesar da recuperação, trata-se do pior resultado para meses de março desde 2003 (21.261 vagas abertas). No ano passado, março havia registrado criação recorde de 206.556 postos de trabalho formais.

No acumulado do trimestre, ainda há perda de 57.751 vagas –o pior resultado desde 1999 para o período. No primeiro trimestre de 2008, houve geração de 554.440 empregos.

Entre novembro e janeiro, haviam sido fechadas quase 800 mil vagas com carteira assinada. Em dezembro, pior mês da crise no emprego, o governo registrou o pior resultado da série histórica do Ministério do Trabalho, quando foram fechados 654.946 postos de trabalho. Somente em janeiro deste ano, foram fechadas 101 mil vagas.

Emprego por setor

A indústria de transformação e o comércio apresentaram resultado negativo no mês passado, com o fechamento de 35.775 vagas e 9.697 pontos, respectivamente. Por outro lado, houve expansão do emprego nos setores de serviços (49.280), construção civil (16.123), agricultura (7.238) e administração pública (7.141).

O ministro Carlos Lupi (Trabalho) disse que o emprego na indústria de transformação deverá ter resultado positivo em abril. "Essa curva está decrescente. O principal dado desse mês mostra que está se invertendo a perda de emprego e, na minha avaliação, teremos abril já positivo na industria de transformação", afirmou.

Lupi destacou ainda o resultado do setor de construção civil, que ficou atrás apenas do de serviços. "Antes mesmo do programa de 1 milhão de casas, já se prova um aquecimento [no setor]", avaliou.

São Paulo lidera abertura

O Estado de São Paulo foi o que mais criou postos de trabalho em março, segundo dados do Caged. Após quatro meses de queda, foram criados 34.231 postos de trabalho no mês passado.

O Sudeste foi a região que registrou o maior número de vagas criadas (50.227). Ainda por Estado, Minas Gerais apresentou o terceiro melhor saldo (9.399), atrás do Paraná (10.842). Na Região Sul foram criados 15.283 postos.

No Centro-Oeste foram abertas 15.067 vagas –7.914 só em Goiás. Já o Nordeste e o Norte apresentaram resultados negativos, com o fechamento de 40.208 vagas e 5.601 vagas respectivamente.

Fonte: Folha Online / Lorenna Rodrigues, em Brasília

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster