Crédito: Brayan Martin – Seeb Porto Alegre
Brayan Martin - Seeb Porto Alegre
Manifestação dos funcionários em frente à sede do banco

A luta dos funcionários do Badesul na Campanha 2014 obteve uma vitória importante nesta sexta-feira, dia 19. A manifestação das atividades por uma hora em frente à sede do banco, no Centro de Porto Alegre, arrancou da diretoria do banco a abertura da mesa de negociações.

Às 16h, da próxima segunda-feira, dia 22, o Sindicato dos Bancários de Porto Alegre se reúne com o banco para abrir debates sobre a pauta de reivindicações específicas. No dia seguinte, a partir das 17h, na Casa dos Bancários, os trabalhadores realizam assembleia para avaliação da primeira rodada.

Mobilização

Ao meio-dia desta sexta-feira, os bancários do Badesul iniciaram aquele que seria o ato final que dobrou a diretoria do banco. A paralisação de uma hora mostrou não apenas a mobilização, mas a coragem de quem está disposto a lutar pela conquista de mais direitos.

No dia anterior, uma mensagem eletrônica distribuída entre os trabalhadores por integrante da direção do banco ameaçava com a criação de uma lista com os nomes de quem havia descido para a manifestação.

“Não vamos permitir que colegas sejam pressionados por uma tentativa da direção do banco de frustrar o movimento. A nossa luta é uma prática democrática. Se estiverem fazendo lista negra, vão ter resposta. A paralisação é um direito do trabalhador. E os colegas do Badesul deram uma mostra de que a nossa luta vale a pena. A mesa de negociação está aberta e vamos negociar a ampliação de direitos”, disse o diretor de Financeiras e Terceirizadas do Sindicato, Carlos Eduardo Bobsin.

Às 13h, a manifestação subiu ao 18º andar da sede do Badesul. No saguão de entrada das salas das diretoria, os trabalhadores sentaram em apenas um lado de uma grande mesa para simbolizar que havia um lado disposto a negociar.

Após uma espera de cerca de 20 minutos, o diretor do SindBancários, Paulo Stekel, entregou à secretária da diretoria do banco um abaixo-assinado que os trabalhadores colheram.

“Agora, vamos para a mesa de negociação com muita firmeza. A nossa pauta de reivindicações específica pode ser atendida integralmente pela diretoria do banco. Temos que manter a nossa mobilização e ficarmos atentos para a postura do banco. Esperamos que o Badesul seja receptivo às nossas reivindicações. Se não, teremos que ampliar a nossa mobilização”, avalia Paulo Stekel, que também é diretor da Contraf-CUT.

Queremos mais direitos

> Promoção de 50% do quadro permanente por ano

> Tempo máximo para promoção de 2 anos

> PLR Badesul adicional de 2,5%

> 13º cesta alimentação de R$ 1.125,00;

> Aumento do número de vagas de promoção para o quadro em extinção

> Carreira em Y para o quadro em extinção.

Fonte: Contraf-CUT com Seeb Porto Alegre

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster