Comando debateu piso salarial, PLR e PCR/PFC, entre outras demandas

O Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Contraf-CUT, concluiu nesta segunda-feira, dia 15, em Fortaleza, a fase de apresentação da pauta específica de reivindicações da Campanha 2014 para a direção do Banco do Nordeste do Brasil (BNB). A rodada teve início na sexta-feira, dia 12, com a discussão das propostas de piso salarial e Participação nos Lucros e Resultados (PLR).

Ao longo de quatro reuniões de negociações, as entidades sindicais defenderam as demandas dos funcionários para a celebração de um novo acordo coletivo, focando os temas “Saúde, Previdência e Condições de trabalho”; “Segurança, Emprego e Igualdade”; “PLR e piso”; e “Plano de Cargos e Remuneração (PCR) e Plano de Funções em Comissão (PFC)”.

“Reforçamos a importância da remuneração, a começar pelo piso, a fim de que seja pelo menos igual ao valor pago aos empregados da Caixa Econômica Federal”, afirma Carlos de Souza, secretário-geral da Contraf-CUT. “Os funcionários do BNB precisam de um piso valorizado para fortalecer a carreira no banco”, salienta.

O PCR e o PFC foram os principais itens discutidos nesta segunda-feira. “Há muitos anos os trabalhadores esperam a reformulação do PCR e a Campanha 2014 é um momento oportuno para atender essa importante demanda para a valorização de quem produz com tanto esforço os resultados do banco”, enfatiza o dirigente da Contraf-CUT.

As distorções são gritantes. Há caixas substitutos que ainda não foram efetivados. Não tem solução para a função de gerente Pronaf. A proposta defendida de PCR prevê aumento de níveis, elevação do piso e aumento do interstício. “É o melhor caminho para combater as distorções de funções e salários no banco”, destaca Tomás de Aquino, coordenador da Comissão Nacional dos Funcionários do BNB, que assessora o Comando nas negociações com o banco.

Os dirigentes sindicais cobram também a instalação do sistema de ponto eletrônico, pagamento do vale-cultura e da PLR de 2012, solução previdenciária para o plano de benefício definido (BD) da CAPEF, concessão da licença prêmio para todos os funcionários que ainda não usufruem esse direito e custeio integral das despesas da CAMED naquilo que exceder as receitas oriundas dos descontos em folha.

“Esperamos que os representantes do banco tragam respostas positivas na próxima rodada de negociação, buscando garantir avanços para os trabalhadores”, enfatiza Carlos de Souza.

O BNB ficou de agendar nova rodada provavelmente para segunda (22) ou terça (23), em Fortaleza.

Fonte: Contraf-CUT com Seeb Ceará

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster