Crédito: Seeb Pará
Seeb Pará
Banco trouxe algumas respostas e novas reivindicações foram discutidas

Foi realizada na tarde desta sexta-feira (12) a segunda rodada de negociações específicas com o Banpará, em Belém. Na ocasião, foi dada sequência aos debates sobre reivindicações sociais. O Sindicato dos Bancários do Pará, a Contraf-CUT e a Fetec-CUT Centro Norte mais uma vez estiveram presentes e foram decisivas na negociação. A terceira rodada com o banco está agendada para a próxima quinta-feira (18), às 14h, na capital paraense.

Dentre os destaques desta segunda rodada estão a garantia de uma promoção excepcional no PCS para os funcionários admitidos na empresa até dezembro de 1998 e que permanecem vinculados ao banco, pagamento de salários aos aposentados na ativa, o reajuste do auxílio para funcionários com dependentes deficientes, e o plano de saúde.

Na avaliação das entidades sindicais, os debates seguem fluindo de maneira positiva. De acordo com a presidenta do Sindicato, Rosalina Amorim, “apesar dos avanços pontuais que temos conseguido nessas rodadas iniciais com o Banpará, não podemos abrir mão da mobilização e da unidade nacional da nossa categoria, pois essa é a nossa principal arma para conseguirmos vitórias concretas nessa campanha nacional para o funcionalismo do Banpará”.

A diretora do Sindicato e funcionária do Banpará, Odinéa Gonçalves, destaca que “um dos principais debates que tivemos hoje foi sobre o plano de saúde, uma pauta de grande relevância para o funcionalismo do banco. Esperamos seguir avançando no debate de questões fundamentais para a categoria, como o a garantia da jornada de 6 horas para todos, pagamento devido das horas extras, segurança e melhores condições de trabalho, dentre outros itens”.

A também diretora do Sindicato e funcionária do Banpará, Sara Mendes, avalia que “tivemos um avanço inicial e que se inaugura este ano: o atendimento ainda que parcial ao colega aposentado que está na ativa e que, em caso de licença-benefício, receberá seus proventos do banco por até 180 dias. É um sinal de respeito aos colegas que se aposentaram do INSS, mas continuam a trabalhar na empresa”, destacou.

O secretário de relações de trabalho da Contraf-CUT, Adílson Barros, observa que “a condução da mesa de negociação do Banpará tem sido diferente neste ano e avaliamos isso de forma positiva, mas ainda temos muito em que avançar. Não podemos relaxar nesse momento, temos que estar mobilizados e, com muita disposição, para lutar em defesa dos interesses da nossa categoria”.

Para a diretora da Fetec-CN e funcionária do Banpará, Vera Paoloni, “é importante destacar dessa rodada o início de reparação histórica àqueles trabalhadores que estavam no banco em 1998, que permanecem na ativa e contribuíram com 20% de seus salários durante 11 meses para evitar privatização ou liquidação do Banpará. Reivindicamos duas promoções extras e o banco concordou com o pagamento de uma promoção a esses funcionários em janeiro de 2015. É um começo alentador e espero que avancemos na próxima rodada”.

Confira o resumo da segunda rodada específica:

O banco apresentou proposta para itens pendentes da primeira reunião:

Artigo 22, parágrafo 6º (PCS) – Banco atende parcialmente a reivindicação da categoria e propõe conceder uma promoção excepcional para os funcionários admitidos na empresa até dezembro de 1998 e que permanecem na ativa.

Artigo 29 – Banco atendeu reivindicação de ampliar a proposta anteriormente apresentada de reajustar o auxílio para funcionários com dependentes deficientes, de R$ 800 para R$ 1.000.

Foram também debatidas várias reivindicações, conforme os artigos da minuta específica, entre o 43 e o 64. Veja as propostas apresentadas pelo banco. Sobre os demais artigos que foram discutidos, mas não estão citados, o banco informou que já atende administrativamente ou, simplesmente, que não atenderá.

ARTIGO 43. ASSISTÊNCIA A DEPENDENTE COM DEFICIÊNCIA – O banco informa que já possui normativos internos que já atende, como o item 1.1 do regulamento de pessoal.

ARTIGO 46. PROGRAMA DE APOIO AO DEPENDENTE QUÍMICO – Banco afirma que já tem programa específico de convênio para atender aos funcionários, e que vai analisar o mesmo para ampliação desse atendimento.

ARTIGO 49. INCLUSÃO DE DEPENDENTES NO PLANO DE SAÚDE – Banco vai manter o acordo anterior e vai continuar buscando negociação com a empresa contratada.

ARTIGO 52. CONTINUIDADE DO PLANO DE SAÚDE – Banco se propõe a incluir os trabalhadores aposentados nos atendimentos de terapia holística, psicólogo e geriatria. Contudo, ficou de analisar o contrato que garante a manutenção dos trabalhadores no plano de saúde.

ARTIGO 54. TERAPIA HOLÍSTICA – Banco vai ampliar em 25%, passando de um total de 300 para 375 trabalhadores nessa rede de atendimento.

ARTIGO 62. PAGAMENTO DE SALÁRIOS AOS APOSENTADOS NA ATIVA – Banco vai conceder durante o prazo de 6 meses, com todos os direitos garantidos, mediante avaliação do médico do trabalho.

ARTIGO 63. PROTEÇÃO AOS ADOECIDOS – Banco disse que atende de forma administrativa, mas vai apresentar nova redação para esse ponto.

Fonte: Contraf-CUT com Seeb Pará

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster