Guina Ferraz
Propostas emergenciais serão debatidas imediatamente com os funcionários

Na mesa de negociação sobre a Cassi desta sexta-feira (21), as entidades representativas do funcionalismo do BB novamente apresentaram ao banco a preocupação com a situação da Caixa de Assistência e a necessidade de se discutir ações emergenciais no processo de negociação.

Durante as negociações, o BB havia apresentado a proposta de criação de um fundo para custeio do pós-laboral e a antecipação de contribuição dos ativos para manutenção das contribuições de 4,5% do banco para os aposentados.

Ao longo do período negocial foram apresentadas alterações na proposta original do BB e feitos debates com funcionários da ativa e aposentados e entre as representações da mesa de negociação.

Contudo, considerando a situação das reservas técnicas da Cassi, os representantes dos associados apresentaram ao banco a dificuldade de chegar a um consenso neste momento sobre uma das premissas apresentadas, dada a necessidade de ampliar o debate com todos os associados.

Diante dessa preocupação, a mesa de negociação propôs orientar os debates para a apresentação e discussão de propostas de cunho emergencial, de forma que não se interrompa o processo de negociação e que se encontrem soluções para a sustentabilidade da Cassi e que até lá não tenhamos perda de nenhum benefício e nem afete a assistência médica dos associados.

Segundo as entidades representadas na negociação, essas propostas de cunho emergencial serão debatidas imediatamente e a partir da próxima reunião serão apresentadas ao banco, de forma a dar um fôlego nas contas da Cassi até que tenhamos uma proposta de sustentabilidade melhor construída e debatida.

A próxima reunião de negociação será já na próxima quinta-feira, dia 27 de agosto.

Fonte: Contraf-CUT

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster