O Sindicato dos Bancários do Pará, a Contraf-CUT, a Fetec-CUT Centro Norte, a CUT Pará e a Afbepa deram continuidade às negociações com o Banpará em torno da minuta específica de reivindicações do funcionalismo na Campanha Nacional 2015, nesta sexta-feira (18).

As discussões foram do artigo 11 ao artigo 23, com destaque no artigo sobre Abono Atividade Física (Art.23), onde o banco propôs ampliar em 10% o benefício. Porém, as entidades pediram que o banco avaliasse melhor a reivindicação dos trabalhadores, levando em consideração, principalmente, o reajuste de 33% que houve nos valores cobrados pelas academias.

Outro destaque foi a resposta dada pelo banco para os critérios de eleição de delegados sindicais, de que concorda em adotar o critério de liberar a eleição de 1 delgado sindical para unidades com até 50 funcionários. Atualmente, a partir de 10 funcionários por unidade se elege 1 delegado sindical no Banpará. O avanço na proposta é que agora unidades com menos de 10 serão contempladas. Apesar disso, o banco se nega a reconhecer a estabilidade dos delegados sindicais no Acordo Coletivo de Trabalho, ainda que isso conste na CLT.

Já a cláusula sobre o PCS, prevista para ser debatida na reunião de hoje, foi transferida para a próxima reunião, no dia 24/09, às 14h30.

Na avaliação das entidades sindicais, a dinâmica das rodadas específicas com o Banpará precisar ser mais objetivas e propositivas.

“Temos mais de 90 cláusulas na minuta específica do Banpará, sendo que até o momento realizamos duas reuniões e ainda não chegamos a debater nem a metade das reivindicações. Precisamos de uma dinâmica mais objetiva, tendo em vista que o banco já conhece todas as demandas da minuta do funcionalismo e poderia ser mais propositivo no debate, pois os ‘avanços’ que tivemos foram muito tímidos diante dos reais anseios dos bancários e bancárias do Banpará”, destaca a presidenta do Sindicato, Rosalina Amorim.

“Estamos chegando em um momento crucial da Campanha Nacional, onde os banqueiros sinalizam apresentar uma proposta global no próximo dia 25. O Banpará segue o protocolo dos demais bancos, sem muitos avanços que contemple o conjunto do funcionalismo. Precisamos de uma proposta global, para encaminharmos um possível desfecho para a Campanha no Banco do Estado”, avalia o secretário executivo da Contraf-CUT, Adílson Barros.

“Apesar da proposta do banco para atividade física e para eleição dos delegados sindicais, ainda há muito para avançar. Temos muitas demandas ligadas à remuneração, emprego, saúde, condições de trabalho, segurança e que precisam de respostas por parte do banco. A dinâmica da mesa está muito lenta, precisamos ser mais objetivos nas discussões para avançarmos nos debates rumo a um acordo coletivo que atenda aos interesses dos trabalhadores e trabalhadoras do Banpará”, ressalta a diretora do Sindicato e funcionária do Banco do Estado, Érica Fabíola.

“Com a terceira rodada prevista para a próxima quinta-feira (24), o banco precisa responder mais objetivamente às justas reivindicações da categoria. E com mais celeridade, pois dia 25 a Fenaban apresenta a proposta geral de remuneração. Nesta segunda rodada, houve ligeiro avanço nos itens de delegados sindicais e também no abono academia. Banco pode e precisa avançar mais”, afirma a diretora da CUT Pará e funcionária do Banpará, Vera Paoloni.

“Apesar de sinalizar alguns poucos itens da pauta, o banco é tímido em atender as reivindicações da categoria. A Fetec-CN espera que a próxima rodada tenha avanços significativos”, reivindica a dirigente da Federação Centro Norte, Andréa Vasconcelos.

Representaram o funcionalismo na reunião de hoje a presidenta do Sindicato Rosalina Amorim e a dirigente sindical Érica Fabíola, o secretário executivo da Contaf-CUT Adílson Barros, a secretária de bancos públicos da Fetec-CN Andréa Vasconcelos, a diretora da CUT-PA Vera Paoloni, a diretora da Afbepa Kátia Furtado e a assessora jurídica do Sindicato Mary Cohen.

Confira o resumo dessa segunda rodada
Gratificação para funcionários do SAC – O banco fará um estudo de mercado e apresentará proposta na próxima reunião. O Sindicato também irá analisar como funciona o SAC nos demais bancos.

Isonomia e reajuste de comissões – Entidades reivindicaram que o banco faça um estudo sobre o que é praticado e apresente na próxima reunião.

Gratificação de caixa em treinamento ou substituição – Banco disse que já pratica.

Incorporação de 10% da comissão – O banco disse que analisa a viabilidade de aplicar a súmula 372 do Tribunal Superior do Trabalho, que diz que a partir de 10 anos na função o trabalhador adquire o direito de incorporação de 100% da comissão.

Garantia de permanência da função comissionada – Entidades reivindicam a construção de critérios objetivos para comissionamento e descomissionamento. O banco disse que já desenvolve trabalho nesse sentido.

Pagamento de sobreaviso – Banco disse apenas que mantém o que é praticado hoje, que é o pagamento de 1/3 sobre a remuneração.

Imediata efetivação das funções – Banco disse que pratica a efetivação nas funções a partir de 90 dias. Porém, as entidades sindicais discordaram da afirmativa em mesa, citaram casos em que não houve a imediata efetivação, considerando os prazos previstos do Acordo, e cobraram providências para garantia dessa reivindicação.

Aumento da gratificação aos funcionários do Call Center – Banco vai avaliar a situação e retorna na próxima reunião.

Auxílio Aluguel – Banco disse que já pratica pelo prazo de 36 meses e que não tem como avançar nesse ponto.

Ajuda deslocamento e comunicação – Banco disse que já pratica e que nenhum funcionário tem despesa que não seja ressarcida.

Abono atividade física – Banco propôs aumentar em 10% o benefício, mas as entidades querem discutir mais o ponto para avançar ainda mais na proposta.

Principais reivindicações no Banpará:
»Mais contratações e melhoria das condições de trabalho
»Mais investimentos em segurança e na prevenção contra assaltos e sequestros
»Valorização e incorporação das funções
»Critérios claros para comissionamentos e descomissionamentos
»Estender o Plano de Saúde aos aposentados inativos e aos ascendentes
»Espaço para descanso em todas as unidades
»Combate às metas abusivas e a todas as formas de assédio
»Distribição de PLR linear para todos
»Valorização do anuênio
»Promoção por merecimento para todos em janeiro de 2016

Fonte: Bancários PA

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster