natal_016r.jpg

natal_016r.jpgNatal, nascimento do menino Jesus, festa maior da cristandade. Momento de reflexão e avaliação sobre tudo o que fizemos ao longo de mais um ano de trabalho. Infelizmente, a sociedade consumista transformou o aniversário do maior líder da humanidade em mais uma grande oportunidade mercantilista.

E, nesse contexto, a figura do Papai Noel tem mais destaque do que o aniversariante. E a cada ano aumenta a distância entre a verdadeira razão de se comemorar o Natal e o que o capitalismo fez dele. E nessa mais valia, o presente material se sobrepõe cada vez mais ao verdadeiro sentido da festa.

Para nós, bancários, que operacionalizamos a intermediação financeira e trabalhamos com a usura isto está muito claro. A cada ano, vemos aumentar o tamanho e a quantidade de lâmpadas nas árvores natalinas que adornam as suntuosas sedes dos bancos em que trabalhamos. E esse crescimento é diretamente proporcional aos lucros auferidos pelos banqueiros e inversamente proporcional ao que eles nos pagam. Mesmo assim, nós acreditamos em Papai Noel.

A corrida desenfreada do lucro pelo lucro, a pressão pela consecução de metas cada vez mais altas e absurdas, a prática do assédio moral e as condições de trabalho cada vez mais precárias tem levado os bancários ao adoecimento do corpo e da alma, inclusive fazendo vítimas fatais. Mesmo assim, nós acreditamos em Papai Noel.

Naturalmente, que o Papai Noel em que acreditamos não é esse tradicional, de barba branca, roupas vermelhas e o saco cheio de presentes. O nosso Papai Noel tem muitas idades, aparências múltiplas, pertence aos dois gêneros e não distribui presentes. Ele se faz presente. Por isto, teve uma atuação brilhante na campanha salarial deste ano.

Tanto que, apesar de todas as dificuldades e muita pressão dos banqueiros, o nosso auditório foi pequeno e o ginásio de esportes quase não comporta tantos bancários nas assembléias da campanha salarial deste ano, que consolidaram uma das greves mais fortes da nossa história de lutas. Além disso, esteve conosco no I Encontro dos Ex-Funcionários do Paraiban, no Encontro Estadual dos Bancários e no VI Encontro dos Bancários Aposentados, todos realizados com sucesso.

Por tudo isto, nós acreditamos no Papai Noel que vive em cada um desses companheiros de luta, que arregaçam as mangas e nos ajudam nas nossas conquistas. Neste, sim, nós acreditamos; porque acreditamos na força de nossa base. Por isto, continue firme, companheiro; seja você mesmo o seu Papai Noel e se dê de presente o seu futuro.

Editorial do Trocando em Miúdos, edição 512

Fonte: SEEB – PB /  Otávio Ivson

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster