Um serviço PAGO de assistência funeral para funcionários e dependentes é a mais recente novidade que circula no Bradesco. Para um banco que trata com descaso a segurança dos empregados e coloca em risco a vida de muitos, a proposta da seguradora soa, no mínimo, como provocação. O banco, que tem uma alta rotatividade de mão-de-obra, não facilita nada para ninguém. Agora, quer faturar também com a expectativa da morte do funcionário. A assistência funeral custará R$ 2,50 por mês, segundo a proposta enviada pela empresa. 

Por que, ao invés de vender um PRÉ-VIDA, o Bradesco não paga o auxílio-educação? A maioria dos bancos já paga e não falta dinheiro para isso. Temos certeza de que os funcionários iriam ficar mais satisfeitos. 

Os banqueiros do Bradesco precisam ter um pouco de ética, tirar o “olho gordo” de cima dos outros e deixar de agourar os trabalhadores. Essa história de assistência funeral é COMPLETAMENTE macabra. Afiiii Maria! Mangalô três vezes. 

Fonte: Seeb-AL

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster