Crédito: Seec PE
Seec PE A Prefeitura do Recife interditou nesta quarta-feira (10) mais uma agência que não cumpre a lei municipal de segurança bancária. O Itaú da Madalena, assaltado há cerca de 30 dias, foi fechado porque não tem número suficiente de vigilantes, nem biombos e divisórias, e estacionamento especial para carro-forte.

De acordo com a Dircon (Diretoria de Controle Urbano da Prefeitura), o local ficará fechado até que sejam resolvidas as pendências nos equipamentos de segurança e a unidade esteja adequada à legislação.

Com isso, já são 13 agências interditadas na capital pernambucana desde o mês de junho. "E o que a gente percebe é que as ocorrências estão migrando da capital para os outros municípios da Região Metropolitana. É um indício de que a Lei de Segurança Bancária do Recife está tendo efeitos e um sinal de que é preciso ampliá-la para todo o estado", afirma Wellington Trindade, secretário de Saúde do Sindicato dos Bancários de Pernambuco.

Bradesco

Menos de uma semana após a investida no Bradesco do Janga, mais uma agência do mesmo banco foi assaltada nesta quarta. Desta vez, o alvo foi o Bradesco de Casa Caiada.

"Com isso, já são 23 assaltos este ano, sete a mais que no ano passado inteiro e o Bradesco responde, sozinho, por quase metade destes assaltos", aponta Wellington.

A exemplo da agência do Janga, o Bradesco assaltado em Casa Caiada não tem porta giratória com detector de metais, nem biombos, nem cabines para os vigilantes. O layout também é semelhante: um imenso vão, aberto, na entrada da unidade facilita a ação dos bandidos.

Segundo as testemunhas, a ação foi rápida, mas violenta. Cinco assaltantes entraram na agência; obrigaram bancários, clientes e vigilantes a deitarem no chão; e retiraram os pertences das pessoas, as armas dos vigilantes e o dinheiro dos caixas.

Wellington e mais os diretores do Sindicato, Adeílton Filho e João Marcelo, compareceram depois ao local para garantir que a agência ficasse fechada e fosse prestada assistência às vítimas. Uma psicóloga foi chamada à unidade para conversar com os bancários. A assistência psicológica terá continuidade nesta quinta-feira (11).

Emissão da CAT

O Sindicato alerta quanto à importância dos bancários que presenciaram o assalto garantirem a emissão da CAT (Comunicado de Acidente de Trabalho). Caso, no futuro, o trabalhador comece a apresentar qualquer transtorno psíquico decorrente do trauma, a CAT certifica que a doença é relacionada ao trabalho. Garante, portanto, todos os direitos devidos às vítimas de acidente de trabalho.

"O Bradesco tem se recusado a emitir o documento. Por isso a gente aconselha os bancários a nos procurarem, aqui no Sindicato", explica Wellington.

Fonte: Contraf-CUT com Seec PE

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster