A Previdência Social registrou um recorde de arrecadação em maio. De acordo com os dados divulgados ontem pela Previdência Social, a arrecadação no mês chegou a R$ 14,4 bilhões, o melhor resultado mensal da série histórica, exceto a arrecadação dos meses de dezembro. Geralmente, no último mês de cada ano, a Previdência arrecada contribuições sobre duas folhas de salário, que são a do próprio mês e ainda a do 13º.

Segundo o ministro da Previdência Social, José Pimentel, houve queda de 5,6% no déficit da previdência em maio deste ano ante igual mês do ano passado, totalizando R$ 2,739 bilhões. Foi a primeira redução do déficit previdenciário neste ano. Isso foi possível graças a um aumento da arrecadação previdenciária, da ordem de 8% na mesma base de comparação, e uma elevação de despesas abaixo desse nível, de 5,5%.

De acordo com Pimentel, o principal fator que ajudou a aumentar a arrecadação foi a criação de mais de 106 mil empregos formais no mês de abril, que repercutiu nas receitas de maio.
Outro fator importante para reforçar a arrecadação foi a recuperação judicial de créditos devidos à Previdência.

A recuperação de créditos em maio somou R$ 1,143 bilhão, um resultado 52% superior à recuperação de créditos ocorrida em maio de 2008, quando somou R$ 751,5 milhões. Um terceiro fator que ajudou no incremento das receitas foi a arrecadação da área rural, já que incide sobre a comercialização da safra agrícola. A arrecadação da área rural, em maio, subiu cerca de 11% em relação a abril.

A projeção de déficit nominal da Previdência para este ano é de R$ 42 bilhões, ante déficit de R$ 36 bilhões no ano passado. Na avaliação de Pimentel, o fator de elevação do déficit em 2009 é o pagamento pela Previdência, neste ano, de 6 bilhões em passivos judiciais em razão de ações perdidas pelo Ministério na Justiça. "Esses passivos judiciais são fruto de maluquices feitas no passado, que tiraram direitos dos segurados", afirmou.

Fonte: Correio do Povo

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster