Crédito: Seeb RJ
Seeb RJ
Sindicato, Contraf-CUT e associações participam da negociação

A primeira rodada de negociação entre os funcionários e a diretoria do BNDES nesta quinta-feira (18), não apresentou propostas concretas. Os representantes do banco apenas confirmaram a manutenção do acordo anterior (2012/2013), com a garantia dos direitos, enquanto perdurarem as negociações.

A empresa informou que o caso GEP-Carreira está em fase de finalização. Na próxima rodada a empresa deverá apresentar uma resposta sobre a reivindicação de implantação do quadro de carreira, que já deveria ter sido feita, conforme foi firmado em acordos anteriores. A Contraf-CUT, o Sindicato, AFBNDES e Co-missão dos Funcionários do BNDES foram enfáticos na cobrança de uma solução para a pendência do GEP-Carreira. O dirigente da Contraf-CUT, Miguel Pereira, voltou a frisar ser inconcebível começar a discutir um novo acordo sem que o novo quadro de carreira tenha sido implantado.

Moções

Os sindicalistas cobraram da empresa uma posição em relação às moções de repúdio aprovadas em assembleias e no 3º Congresso dos Empregados, realizado dias 25 e 26 de agosto. As moções incluem desde o protesto contra o pagamento irregular de férias, a substituição de empre-gados por estagiários e a transferência arbitrária e o assédio moral. Repudiam a supressão de direitos de empregados do gru-pamento C, o não reconhe-cimento dos direitos dos anistiados, altera-ções arbitrárias de normas previ-denciárias da Fapes (fundo de pensão) e o descumprimento do acordo do plano de carreira (GEP).

PR e assembleia, dia 23

Os representantes do BNDES disseram que a diretoria do banco está disposta a discutir agora a participação nos resultados (PR) de 2014. Uma assembleia marcada para o dia 23, às 14h30, vai decidir se autoriza as entidades a negociar esta questão. Uma nova rodada de negociação foi agendada para o dia 26. Para a diretora da Secretaria de Bancos Públicos do Sindicato, Luciana Vieira, o momento é de unidade e início de mobilização. “O funcionalismo do banco deve se manter informado através dos informativos das entidades e participando ativamente da assembleias”, afirmou.

Além do reajuste salarial de 12,5%, outras reivindicações integram a pauta. Medidas de isonomia entre todos os empregados, inclusive do grupamento C e anistiados, complemen tação salarial nos casos de afastamento por motivos de saúde, incorporação de função e questões previdenciárias relativas à Fapes.

Fonte: Seeb RJ

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster