O presidente de Cuba, Raúl Castro, disse nesta quinta-feira, dia 1º, que durante os últimos 50 anos, desde a vitória da Revolução Cubana, o país "não teve paz nem tranqüilidade" por causa das dificuldades e obstáculos impostos por seu "inimigo", uma menção indireta aos Estados Unidos.

"O inimigo diz que o socialismo foi um fracasso. Por que não nos deixam tranqüilos para lutar em igualdade de condições?", questionou Raúl, em uma entrevista veiculada pela televisão nacional. "(O socialismo) não foi nenhum fracasso, nem sob estas condições", acrescentou.

Ainda na quinta, Raúl participou do ato central que celebrou o 50º aniversário da vitória da Revolução. Ele discursou da sacada da prefeitura de Santiago de Cuba, cidade situada a 900 quilômetros da capital Havana.

O mesmo local foi palco, em 1º de janeiro de 1959, do discurso em que o ex-presidente e irmão mais velho de Raúl, Fidel Castro, anunciou ao povo a vitória dos guerrilheiros, que puseram fim à ditadura de Fulgêncio Baptista.

Os governos de Venezuela, Bolívia, Nicarágua, China e Rússia, entre outros países, enviaram cumprimentos a Cuba.

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, promoveu um ato em Caracas para lembrar a data. Durante o evento, ele ressaltou que é necessário "lutar ao lado da Revolução Cubana" para enfrentar a crise econômica internacional. "Agora, quando enfrentamos e enfrentaremos os grandes desafios que virão neste e nos próximos anos, estamos obrigados a seguir juntos, cada dia mais juntos", disse. "Nossos povos são um só. Nossas revoluções já são uma só", completou Chávez, que depositou flores sobre o túmulo de Simón Bolívar para homenagear Cuba.

Na Bolívia, Evo Morales disse que a Revolução Cubana é um exemplo para a libertação dos povos do mundo. "Faz 50 anos que o povo cubano se libertou do império norte-americano, e por isso Cuba, seu povo e seus comandantes são símbolos da libertação de todos os povos do mundo", disse o presidente.

Em nota emitida por sua chancelaria, o governo venezuelano se referiu ao legado de Cuba para o processo de transformação hoje vivido por inúmeros países latino-americanos. "Sem a lição de firmeza, coragem, dignidade e resistência do povo cubano, esta mudança de época que nós, povos de nossa América, estamos protagonizando não teria sido produzida", diz o texto.

Em uma breve mensagem publicada pela imprensa cubana, o ex-presidente Fidel Castro cumprimentou a população do país pelo aniversário.

"Ao cumprir-se, dentro de poucas horas, o 50º aniversário do Triunfo, felicito nosso povo heróico", diz a nota, assinada por Fidel Castro e publicada pelo jornal Granma, do Partido Comunista de Cuba.

Fidel teve de se afastar do poder em julho de 2006, após passar por uma cirurgia no intestino. Desde então, tem sido visto apenas quando visitado por personalidades e passou a publicar periodicamente artigos em que analisa questões cubanas e internacionais.

O último destes textos, intitulados "Reflexões do companheiro Fidel", foi publicado em 15 de dezembro.

Fonte: Vermelho, Com Agência Ansa Latina

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster