No encontro dos presidentes da América Latina com participantes do Fórum Social, nesta quinta, 29, em Belém (PA), o presidente Lula repetiu diversas vezes que o Estado tem de continuar investindo no país e que o emprego em última análise é que vai tirar o país da crise.

Para Lula, a crise aconteceu por causa da falta de controle sobre os mercados financeiros. "O Estado é que tem que construir o país e não o mercado. Eles se perderam por causa da falta de controle, especulação via mercado futuro", disse Lula. Para o presidente, esta é uma oportunidade de os paises emergentes se desenvolveram por meio de uma política de transferência de renda.

"A crise é tão grave e nós não sabemos seu fundo. Os países em desenvolvimento estão mais fáceis de sair da crise. Temos que disputar o G20, ter o controle do mercado financeiro. Temos uma chance extraordinária. A crise não teve início em nosso país. As exportações estão caindo. A China não cresce tanto mais. Nos EUA e UE tem recessão. O Estado tem de investir. Precisa de emprego", completou.

O presidente do Sindicato de São Paulo, Luiz Cláudio Marcolino, lembra que a necessidade de regular o Sistema Financeiro Nacional (SFN) é defendida pelos bancários como forma de controle e fiscalização para evitar a especulação financeira e promover o desenvolvimento sustentável. Ele destaca que a categoria fez uma série de ações, entre elas uma maratona no Congresso Nacional para exigir que os recursos públicos liberados para as empresas tenham contrapartidas sociais, como a preservação dos empregos.

Fonte: Contraf/CUT, com Êlisângela Cordeiro, do Seeb SP

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster