O Santander, maior banco da zona do euro, foi um dos mais lucrativos do mundo durante a crise econômica internacional, segundo matéria publicada nesta sexta, dia 5, pelo jornal Valor Econômico. De acordo com a reportagem, o presidente mundial do grupo, Emilio Botín, tem estado cada vez mais confiante na capacidade de o banco prosperar apesar da recessão.

"Temos muito capital", disse um executivo do Santander para a reportagem, que omitiu sua identidade. Segundo o Valor Econômico, a mais recente relação "tier 1" (uma medida de força financeira que inclui o patrimônio, as reservas e as ações preferenciais) está em sólidos 8,9%.

O diretor do Sindicato e funcionário do Santander João Roberto de Almeida diz que enquanto os executivos do banco comemoram o excelente desempenho do grupo, os bancários sofrem com as demissões e a falta de funcionários nas agências.

"É um escárnio o executivo dizer que ‘temos muito capital’, mas negar um simples adicional da PLR, que não custa quase nada para o banco e é muito importante para os bancários. Além disso, o banco já fechou milhares de postos de trabalho aqui no Brasil, colocando na rua pais e mães de família", comenta João.

Banco de mercado – A matéria do Valor diz que o Santander entrou para a fila dos bancos espanhóis que pretendem emitir bilhões de euros em ações preferenciais para fortalecer suas relações de capital e a liquidez. Executivos do Santander descreveram a emissão planejada como rotina e disseram que vai substituir outras emissões de ações, avaliadas em ? 2,35 bilhões, que estão sendo resgatadas pelo banco depois de cinco anos, dentro de processos normais praticados na Espanha.

Fonte: Seeb/SP, com Valor Econômico

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster