A questão racial ganhou espaço no cenário cutista durante o 10º CONCUT. A partir do próximo mandato a Central terá na sua estrutura organizativa a Secretaria Nacional de Combate ao Racismo. A conquista é fruto do trabalho realizado pela Comissão Nacional contra a Discriminação Racial, na luta desde 1992, e que desde lá vem pautando ações e demonstrando a importância estratégica do tema para o conjunto da classe trabalhadora.

Marcos Benedito, representante da Comissão Nacional contra a Discriminação Racial da CUT, afirma que "de 92 em diante, houve uma maior conscientização dos (as) militantes anti-racistas e isso resultou numa maior participação da classe nos Congressos."

Para ele, a criação da Secretaria potencializará ainda mais as ações da CUT na luta contra a discriminação racial. "Com a criação da Secretaria nós teremos uma ferramenta com toda a legitimidade e representatividade pelo fim da discriminação racial."

O presidente da CUT/BA, Martiniano Costa, sustenta a idéia de Marcos ao afirmar que "a CUT sempre lutou pela ratificação de uma política de igualdade de gêneros através dos coletivos nacionais e estaduais e está pronta para assumir os desafios da nova Secretaria."

A dirigente Ione Santana, secretária de Política e Promoção de Igualdade Racial da Contracs/CUT, "afirma que a criação da Secretaria na Confederação em 2008 ajudou melhorar as condições dos trabalhadores (as) negros (as) e isso também deverá acontecer na CUT.

Fonte: Ana Paula Carrion e William Pedreira/CUT

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster