Câmeras de segurança de uma agência bancária da Vila Ré, na Zona Leste de São Paulo, registraram toda a ação de uma quadrilha suspeita de furtar caixas eletrônicos na cidade. Para retirar os equipamentos do chão, os criminosos, armados com fuzis, usaram picaretas e destruíram a agência bancária. O nome do banco não foi divulgado. As imagens tiveram repercussão nacional.

.: Confira a reportagem do Jornal Hoje, com as imagens do assalto

As gravações mostram tudo: do momento em que o bando invade a agência até o instante em que os equipamentos recheados de dinheiro são levados embora. A partir da análise das imagens, a Delegacia de Roubo a Bancos conseguiu identificar e prender três integrantes.

Eles têm passagem por assalto de agência bancária. Segundo a polícia, eles furtavam caixas eletrônicos em São Paulo, no interior do estado e no Paraná. A investigação descobriu que o próximo passo era atacar um banco em Foz do Iguaçu.

No total, quatro câmeras registraram as imagens. A invasão foi tática, e lembra uma ação policial. Todos os envolvidos estão de preto, com os rostos cobertos e fuzis nas mãos.

Pouco sobrou dos caixas eletrônicos. Divisórias foram arrebentadas, cabos destruídos e fios cortados. Foram necessários cinco minutos de muito esforço para soltar parte do equipamento. As cenas se repetem com o caixa ao lado, até que a máquina vai para o chão.

Em tempo real, o que ocorria dentro do banco era comunicado por celular para os criminosos que davam cobertura do lado de fora. O mesmo ladrão que não tira o telefone da orelha abre uma das portas de vidro, e a outra é espatifada.

Depois, um carro com baú encostou no local, preparado para levar um dos caixas, com R$ 100 mil. Um dos chefes do bando, de capacete branco, ordena que o serviço seja terminado em outro equipamento. Ele exige reforço de outros homens, e a agência fica cheia. Nesse momento, podem ser contadas 25 pessoas no local.

Após a retirada do segundo caixa, outro carro encosta na agência e leva o equipamento, também com R$ 100 mil. A ação toda durou pelo menos 15 minutos. Pedestres que passavam pela rua da agência aparecem do lado de fora nas imagens, com as mãos para o alto.

A agência não tinha vigilantes, apenas um alarme. Entretanto, quando a Polícia Militar chegou, já era tarde. Os policiais encontraram a agência destruída, mas nenhum vestígio dos ladrões.

De acordo com a polícia, as ações eram planejadas em uma casa que a quadrilha alugou no bairro do Valo Velho, na Zona Sul da capital. No local, foi encontrado um agasalho usado por um dos presentes no ataque à agência da Vila Ré. Também foram apreendidas armas, coletes da Polícia Civil, um colete à prova de balas e uma máquina eletrônica de contar dinheiro.

Os presos ainda são suspeitos de envolvimento no assassinato de dois PMs no fim de abril, em Santo André, no ABC. Na ocasião, o carro dos policiais foi atingido por mais de 50 tiros de fuzil.

Fonte: G1

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster