MAU2883 materia1

 MAU2883 materia1Objetivo é traçar estratégias para barrar Projeto de Lei do Senado que abre portas para privatização – A retomada dos trabalhos no Senado, em fevereiro, acendeu novamente o sinal de alerta na luta dos trabalhadores em defesa do patrimônio público.

Isso porque um dos primeiros pontos a serem discutidos será o PLS 555/2015, Projeto de Lei do Senado que abre caminho para a privatização de todas as empresas estatais do país. Ele estabelece, por exemplo, que instituições 100% públicas como Caixa Federal, BNDES e Correios tornem-se sociedades anônimas.

Para ampliar o debate sobre o assunto e definir estratégias de mobilização, o Comitê de Defesa das Estatais faz na quarta 27, a partir das 9h30, em Brasília, seminário sobre o PLS 555.  O evento terá participação de dirigentes sindicais, parlamentares e representantes eleitos dos trabalhadores nos conselhos de administração das estatais.

“As empresas públicas já mostraram ser essenciais para a segurança e o desenvolvimento do país. Basta ver o papel desempenhado pelo Banco do Brasil e a Caixa Federal no enfrentamento da crise de 2008”, afirma o diretor executivo do Sindicato e empregado da Caixa Federal, Dionísio Reis, que participará do seminário. “A manutenção da Caixa 100% pública é essencial para o país, no fornecimento de crédito à população e colocar em prática os programas sociais. Aceitar a privatização é dizer amém à cartilha do neoliberalismo que já provou que não funciona.”

O Comitê em Defesa das Estatais é formado pelas centrais sindicais – CUT, CTB, CSP-Conlutas e Intersindical – e entidades de representação dos funcionários das empresas como Contraf-CUT, Fenae, Apcefs e FUP.

O que é o PLS 555 – O PLS 555 é junção dos PLSs 167 e 343, cujos autores são, respectivamente, os senadores tucanos Tasso Jereissati e Aécio Neves, além do anteprojeto apresentado pelos presidentes da Câmara, Eduardo Cunha, e do Senado, Renan Calheiros, ambos do PMDB.

O projeto determina que todas as estatais – municipais, estaduais e federais – transformem-se em sociedades anônimas, além de vetar a participação de pessoas ligadas a partidos ou sindicatos (isso inclui os trabalhadores sindicalizados) de integrar os conselhos de administração.

 

A votação pelo Senado, no final de 2015, só foi adiada graças à intensa mobilização dos trabalhadores.

Seminário sobre PLS 555 debate mobilização

Objetivo é traçar estratégias para barrar Projeto de Lei do Senado que abre portas para privatização

São Paulo – A retomada dos trabalhos no Senado, em fevereiro, acendeu novamente o sinal de alerta na luta dos trabalhadores em defesa do patrimônio público.

altIsso porque um dos primeiros pontos a serem discutidos será o PLS 555/2015, Projeto de Lei do Senado que abre caminho para a privatização de todas as empresas estatais do país. Ele estabelece, por exemplo, que instituições 100% públicas como Caixa Federal, BNDES e Correios tornem-se sociedades anônimas.

Para ampliar o debate sobre o assunto e definir estratégias de mobilização, o Comitê de Defesa das Estatais faz na quarta 27, a partir das 9h30, em Brasília, seminário sobre o PLS 555.  O evento terá participação de dirigentes sindicais, parlamentares e representantes eleitos dos trabalhadores nos conselhos de administração das estatais.

“As empresas públicas já mostraram ser essenciais para a segurança e o desenvolvimento do país. Basta ver o papel desempenhado pelo Banco do Brasil e a Caixa Federal no enfrentamento da crise de 2008”, afirma o diretor executivo do Sindicato e empregado da Caixa Federal, Dionísio Reis, que participará do seminário. “A manutenção da Caixa 100% pública é essencial para o país, no fornecimento de crédito à população e colocar em prática os programas sociais. Aceitar a privatização é dizer amém à cartilha do neoliberalismo que já provou que não funciona.”

O Comitê em Defesa das Estatais é formado pelas centrais sindicais – CUT, CTB, CSP-Conlutas e Intersindical – e entidades de representação dos funcionários das empresas como Contraf-CUT, Fenae, Apcefs e FUP.

O que é o PLS 555 – O PLS 555 é junção dos PLSs 167 e 343, cujos autores são, respectivamente, os senadores tucanos Tasso Jereissati e Aécio Neves, além do anteprojeto apresentado pelos presidentes da Câmara, Eduardo Cunha, e do Senado, Renan Calheiros, ambos do PMDB.

O projeto determina que todas as estatais – municipais, estaduais e federais – transformem-se em sociedades anônimas, além de vetar a participação de pessoas ligadas a partidos ou sindicatos (isso inclui os trabalhadores sindicalizados) de integrar os conselhos de administração.

A votação pelo Senado, no final de 2015, só foi adiada graças à intensa mobilização dos trabalhadores.

– See more at: http://www.spbancarios.com.br/Noticias.aspx?id=13882#sthash.i31NwVTq.dpuf

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster