Os bancários aprovaram durante a 11º Conferência Nacional dos Bancários os itens de segurança que constarão na pauta de reivindicações a ser entregue à Fenaban. A proposta terá de ser referendada pelo plenário e se juntará aos outros temas como emprego e remuneração, saúde e condições de trabalho e previdência complementar debatidos nesta sexta-feira.

Saiba mais:
> Proteger a vida é a preocupação central do debate sobre segurança bancária

Os trabalhadores vão cobrar dos banqueiros durante as negociações que todos os estabelecimentos bancários tenham porta de segurança já no auto-atendimento, fechamento das agências no dia de assalto, vetar que bancários carreguem a chave do cofre e transportem numerário, além de garantia de emprego e adicional de risco de vida de 40% do salário para quem trabalha em agência e postos de atendimento entre outras questões.

Durante a aprovação das reivindicações, os bancários decidiram também que vão intensificar a mobilização para que a Polícia Federal reveja a portaria que prorroga o prazo de validade dos planos de segurança das instituições financeiras até o final de 2010. "Vamos enviar um documento ao Ministério da Justiça explicando o erro cometido pela PF nessa determinação", afirma Ademir Wiederkehr, secretário de Imprensa da Contraf-CUT.

A participação dos vigilantes na Conferência dos Bancários foi marcada com o lançamento do primeiro jornal nacional conjunto das duas categorias. "Aproveitamos também para agradecer a contribuição do presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores Vigilantes (CNTV), José Boaventura dos Santos, que engrandeceu nosso debate e consequentemente a nossa luta", completa Ademir.

Fonte: Carlos Fernandes/Rede de Comunicação dos Bancários

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster