A total falta de preocupação do Unibanco com a segurança de seus postos e agências facilitou novamente a ação de bandidos. Seis homens assaltaram o Unibanco da avenida Otto Niemayer, em Porto Alegre, na sexta-feira, dia 19. O assalto se deu um dia após uma quadrilha ter invadido a agência do Unibanco em Cachoeirinha, também sem as menores condições de segurança.

Às 12h40min, seis homens chegaram ao local. Três entraram no banco sem armas e outros três ficaram na sala do autoatendimento. Um deles fingiu que ia fazer um depósito e, quando chegou ao caixa, anunciou o assalto.

O pânico então se instalou, pois os outros três bandidos apontaram as armas para o vidro, prontos para explodir com a fachada e entrar para concluir o roubo.

Incorfomados com a pouca quantia roubada, os ladrões roubaram os pertencem dos trabalhadores e clientes – dinheiro, bolsas, celulares, relógios. Os funcionários foram ameaçados e os bandidos colocaram as armas na cabeça das pessoas para intimidar e apressar a ação.

"A agência não cumpre com os requisitos de segurança. Não há câmeras de segurança nem vidros blindados, ambos mecanismos exigidos por lei em Porto Alegre", critica o diretor do Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e funcionário do Unibanco, Sandro Rodrigues.

Acompanhado pelo diretor da Contraf-CUT e funcionário do Unibanco, Ernesto Humberto Santos, Sandro esteve na agência para dar suporte aos funcionários e orientá-los a registrar a Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT) e Boletim de Ocorrência, direito do trabalhador.

"Situações como esta têm que acabar de uma vez por todas. Os bancos precisam cumprir as leis e dar condições de segurança a clientes, usuários e trabalhadores", defende Ernesto.

O SindBancários defende que os bancos invistam em mecanismos de segurança, como blindagem dos vidros das fachadas, câmeras de monitoramento, mais vigilantes, porta giratória antes do autoatendimento e alarmes. Do Governo Yeda, o movimento sindical cobra mais atenção à segurança pública, item que não recebe o devido investimento. Falta efetivo para o policiamento.

Estatística do medo – junho 2009

1. Dia 1: Itaú – São Leopoldo (Agência Scharlau) : tentantiva de assalto
2. Dia 8: Real – Porto Alegre (agência Hospital Moinhos de Vento): assalto
3. Dia 9: Banrisul – Bento Gonçalves (agência Cidade Alta): assalto
4. Dia 10: Banrisul – Porto Alegre (Agência Navegantes): tentativa de assalto com cliente morto
5. Dia 15: Banrisul (Barão do Triunfo): assalto
6. Dia 15: Bradesco – Porto Alegre (agência Eduardo Prado): assalto com agressão a trabalhadores
7. Dia 18: Unibanco – Cachoeirinha: assalto com agressão a trabalhadores e clientes
8. Dia 19: Unibanco – Porto Alegre (agência Otto Niemayer): assalto com agressão a trabalhadores e clientes.

Fonte: Imprensa/SindBancários

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster