Cerca de 70% dos clientes do Banco Santander aos quais foi oferecida indenização por perdas vinculadas ao fundo de hedge de Bernard Madoff decidiram aceitá-la, disseram advogados do banco, o maior da Espanha, num tribunal de Miami, no Estado norte-americano da Flórida.

Os clientes do banco, sediado na cidade espanhola de Santander, estão aceitando a oferta por ela lhes oferecer "algo na mão, algo que eles estão recebendo hoje"´, disse Sam Danon, advogado que representa a empresa em processo movido pelos investidores junto ao tribunal federal de Miami, em audiência realizada hoje.

O Santander disse no mês passado que oferecerá ações preferenciais, envolvendo o pagamento de 2% de juros, num momento em que tenta reparar as relações com os clientes da divisão de gerenciamento de grandes fortunas que perderam 1,38 bilhão de euros (US$ 1,76 bilhão) com investimentos ligados a Madoff. Madoff, 70, foi preso em dezembro e teria confessado ser o idealizador do esquema piramidal de US$ 50 bilhões.

Alguns investidores recusaram a oferta porque as ações pagam um rendimento de 2%, inferior ao do mercado, e porque o Santander não tem qualquer obrigação de recomprá-las. Embora cerca de 20% ainda estejam examinando a oferta do Santander, de 7 a 10% a recusaram de saída, disse Danon.

O Santander não está impedido de contatar os clientes da área de administração de grandes fortunas para inquirir sobre sua oferta de indenizá-los por investimentos perdidos com Madoff, determinou um juiz.

O juiz federal dos Estados Unidos Paul C. Huck, de Miami, se recusou a determinar que os altos funcionários do Santander suspendam qualquer contato "direto e indireto" com clientes cujo dinheiro estava investido em produtos vinculados a Madoff enquanto os advogados tentam organizar os processos movidos pelos investidores contra o banco.

Fonte: Valor Econômico / Jef Feeley e Charles Penty, Bloomberg News, de Madri

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster