O Banco Votorantim divulga hoje o balanço de 2008 com um lucro líquido de R$ 901,8 milhões. O resultado é 18% inferior ao de R$ 1,1 bilhão de 2007. Mas, ressalvou o vice-presidente do banco, Milton Roberto Pereira, se forem retirados efeitos não recorrentes que engordaram as receitas de 2007, a queda do lucro fica em 3,5%. Em 2007, o Votorantim teve ganhos não recorrentes com a venda de ações da BM&F e da Bovespa, na abertura do capital das bolsas.

O patrimônio cresceu 6,7%, de R$ 6 bilhões para R$ 6,4 bilhões. O retorno sobre o patrimônio líquido médio de 2008 ficou em 14,6%. O Votorantim atua no atacado, varejo, tesouraria, gestão de recursos e corretagem e vendeu metade de seu capital ao Banco do Brasil (BB).

Os ativos totais alcançaram R$ 72 bilhões, com crescimento de 8,9% acima do valor de dezembro de 2007. A carteira consolidada de operações de crédito, que aumentou 42,6% nos últimos 12 meses, atingiu R$ 38,2 bilhões, excluindo avais e fianças prestados. As operações de atacado tiveram crescimento de 68,8% sobre dezembro de 2007; e as de pessoas físicas, de 26,2%, para R$ 20,7 bilhões.

No último trimestre do ano, quando a crise internacional entrou em cheio no mercado brasileiro, a carteira de crédito do Votorantim ficou estável.

Pereira ressaltou que, apesar da expansão do crédito, a qualidade continuou boa. Em dezembro de 2008, as operações de crédito classificadas entre AA e C representavam 97,1% da carteira, mesmo patamar registrado no período anterior. (MCC)

Fonte: Valor Econômico

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster