Crédito: Seeb São Paulo
Seeb São Paulo
Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT, fala em frente ao CTO do Itaú

A greve nacional parou seis setores estratégicos de tecnologia dos bancos, além de outros prédios administrativos e agências em toda a base territorial do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região. Nesta segunda-feira 23, quando a paralisação por tempo indeterminado completou cinco dias, a entidade calcula que 29 mil trabalhadores aderiram, em 16 centros administrativos e 632 agências.

No país, segundo dados da Contraf-CUT, a mobilização atingiu 9.015 agências e centros administrativos, crescimento de 23,8% em relação à sexta-feira 20. No primeiro dia de greve, na quinta-feira 19, haviam sido fechadas 6.145 unidades. No segundo foram 7.282 dependências.

Como não houve resposta da Fenaban (federação dos bancos), a greve continua em todo o país nesta terça-feira 24, data agendada pela categoria para uma passeata na Avenida Paulista. A concentração está marcada para começar às 16h, no Masp.

“Os bancários estão de parabéns pela demonstração de força até aqui, mas é essencial que todos se empenhem ao lado do Sindicato para que a greve cresça ainda mais”, afirmou a presidenta do Sindicato, Juvandia Moreira.

“Há outros setores da economia, que não lucram tanto quanto os bancos, nos quais os trabalhadores estão conquistando aumento real. A categoria bancária está deixando claro às instituições financeiras que também não sairá desta campanha sem aumento real nos salários, valorização nos pisos e verbas, PLR maior e soluções para questões de saúde e condições de trabalho”, acrescenta.

Tecnologia

Os complexos de tecnologia que pararam nesta segunda foram o CTO e CA Raposo, do Itaú; Casa 2, do Santander; Cepti (antiga Rerop) e Traituba, da Caixa Federal; e Núcleo Bradesco Alphaville. Além deles, não funcionaram as concentrações São João, Verbo Divino e CSA (Bom Pastor), do Banco do Brasil; e, do Itaú, um contingenciamento na Rua Fábia.

Também aderiram empregados de agências de corredores da Avenida Conselheiro Carrão, Praça Silva Romero, bairros Ermelino Matarazzo e Guaianazes na zona leste, unidades da Lapa na zona oeste, bairro do Imirim, Casa Verde, Vila Nova Cachoeirinha e Jaçanã na zona norte.

Além disso, cruzaram os braços funcionários de unidades da Avenida Adolpho Pinheiro na zona sul, da Avenida Paulista, e dos centros da capital e de Osasco.

Assembleia

O Sindicato ainda realizou assembleia na Quadra dos Bancários, na qual foi avaliado o movimento em São Paulo, Osasco e região. A próxima ocorrerá nesta quinta-feira 26, às 17h, também na Quadra. Leve o crachá do banco ou holerite acompanhado de documento com foto para se credenciar.

Comando de Greve

Integrado por dirigentes do Sindicato, da Fetec-CUT/SP, da Contraf-CUT, cipeiros, delegados sindicais da Caixa e do Banco do Brasil, o Comando de Greve volta a se reunir na quarta-feira 25, às 17h, no Sindicato (Rua São Bento, 413, Centro).

Outros bancários que queiram ajudar a organizar o movimento, também podem participar.

Fonte: Contraf-CUT com Seeb São Paulo

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster